Liturgia diária: 27ª Semana do Tempo Comum – Quarta-feira – 11/10/2017

Primeira Leitura: Profecia de Jonas (Jn 4,1-11)

Deus quer salvar todos os homens – Jonas ficou muito desgostoso e despeitado. E rezou a Javé: “Ah! Javé! Não era justamente isso que eu dizia quando estava na minha terra? Foi por isso que eu corri, tentando fugir para Társis, pois eu sabia que tu és um Deus compassivo e clemente, lento para a ira e cheio de amor, e que voltas atrás nas ameaças feitas. Se é assim, Javé, tira a minha vida, pois eu acho melhor morrer do que ficar vivo”.

Javé respondeu-lhe: “Está certo você ficar irritado desse jeito?”

Jonas saiu da cidade e ficou no lado do nascer do sol. Aí fez uma cabana e sentou-se na sombra, esperando para ver o que aconteceria com a cidade. O Senhor Javé fez nascer uma mamoneira, que cresceu de modo a fazer sombra sobre a cabeça de Jonas e livrá-lo de uma insolação. E Jonas ficou muito contente com essa mamoneira. Então, na madrugada seguinte, Deus enviou um verme que prejudicou a mamoneira, e ela secou. Quando o sol nasceu, Javé mandou um vento quente e sufocante; e o sol abrasava a cabeça de Jonas, a ponto de fazê-lo desmaiar. E Jonas tornou a pedir a morte, dizendo: “Prefiro morrer do que ficar vivo!” Deus perguntou a Jonas: “Está certo você ficar com tanta raiva por causa da mamoneira?” Ele respondeu: “Sim, está certo eu ficar com raiva, a ponto de pedir a morte”. Javé lhe disse: “Você está com dó de uma mamoneira, que não lhe custou trabalho, que não foi você quem a fez crescer, que brotou numa noite e na outra morreu? E eu, será que não vou ter pena de Nínive, esta cidade enorme, onde moram mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem distinguir a direita da esquerda, além de tantos animais?”

Opinião – quantas vezes não desafiamos Deus por sermos mimados, e queremos que as coisas aconteçam da nossa maneira? Nessa passagem Jonas fica irritado por Deus demonstrar misericordia com outras pessoas, e Deus o questiona se isso é correto, e diante da insistencia e cabeça dura de Jonas, ele demonstra que se Jonas pode se preocupar com certas coisas que não são da criação dele, Deus ira sempre se preocupar com nós, sua criação, quando abrirmos o coração para seus pedidos e seu conhecimento.

Salmo Responsório (Sl 85)

— Ó Senhor, sois amor, paciência e perdão.

Ó Senhor, sois amor, paciência e perdão.

— Piedade de mim, ó Senhor, porque clamo por vós todo o dia! Animai e alegrai vosso servo, pois a vós eu elevo a minh’alma.

Ó Senhor, sois amor, paciência e perdão.

— Ó Senhor, vós sois bom e clemente, sois perdão para quem vos invoca. Escutai, ó Senhor, minha prece, o lamento da minha oração!

Ó Senhor, sois amor, paciência e perdão.

— As nações que criastes virão adorar e louvar vosso nome. Sois tão grande e fazeis maravilhas: vós somente sois Deus e Senhor!

Ó Senhor, sois amor, paciência e perdão.

Opinião – salmo de pedido de socorro, de salvamento, ao mesmo tempo que exalta como Deus é amor, paciência e perdão, porém devemos sempre nos manter atentos aos seus ensinamentos, do contrario conheceremos a sua justiça.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 11,1-4)

O “Pai Nosso” – Um dia, Jesus estava rezando em certo lugar. Quando terminou, um dos discípulos pediu: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou os discípulos dele.” Jesus respondeu: “Quando vocês rezarem, digam: Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Dá-nos a cada dia o pão de amanhã, e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos aqueles que nos devem; e não nos deixes cair em tentação.”

Opinião – a oração é nosso meio de aproximarmo-nos de Deus, então perante o pedido os discípulos Jesus ensinou as palavras do Pai nosso, que resumem nosso comportamento para com Deus, de maneira simples e direta.

O Padre Roger Araújo destaca o seguinte aspecto da oração na homilia de hoje: “A oração começa pela vontade e pela decisão de orar, pela atitude de nos colocar em oração na presença de Deus.”

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/27a-semana-tempo-comum-quarta-feira/?sDia=11&sMes=10&sAno=2017

Liturgia diária: 27ª Semana do Tempo Comum – Segunda-feira – 09/10/2017

Primeira leitura: Profecia de Jonas (Jn 1,1-2,1.11)

Com Deus não se brinca… – A palavra de Javé foi dirigida a Jonas, filho de Amati, ordenando: “Levante-se e vá a Nínive, a grande cidade, e anuncie aí que a maldade dela chegou até mim”. Jonas partiu, então, com intenção de escapar da presença de Javé, fugindo para Társis. Desceu até Jope e aí encontrou um navio de saída para Társis. Pagou a passagem e embarcou, a fim de ir com eles até Társis, para escapar assim da presença de Javé.

Javé, porém, mandou sobre o mar um vento forte, que provocou uma grande tempestade e ondas violentas. E o navio estava a ponto de naufragar.

Os marinheiros começaram a ficar com medo e a rezar cada um ao seu próprio deus. Jogaram no mar a carga que estava no navio, a fim de diminuir-lhe o peso. Jonas, porém, tinha descido ao porão do navio e, deitado, dormia a sono solto. O capitão, ao chegar aonde ele estava, disse-lhe: “O que você faz aí dormindo? Levante-se e invoque o seu Deus. Quem sabe ele se lembra de nós e não nos deixa morrer”.

Depois disseram uns aos outros: “Vamos tirar sorte para ver quem é o culpado dessa desgraça que nos está acontecendo”. Tiraram a sorte, e ela caiu em Jonas. Então lhe perguntaram: “Conte para nós por que é que nos está acontecendo essa desgraça. Qual é a sua profissão? De onde você vem? Qual é a sua terra? De que povo é você?” Jonas respondeu: “Eu sou hebreu. Eu adoro a Javé, Deus do céu, que fez o mar e a terra”.

Os marinheiros ficaram com medo, e lhe perguntaram: “O que foi que você fez?” Eles tinham percebido que Jonas estava fugindo da presença de Javé, pois ele próprio lhes tinha contado tudo. E perguntaram: “O que é que vamos fazer com você, para que o mar se acalme?” Pois o mar estava cada vez mais bravo. Jonas respondeu: “É só vocês me pegarem e me atirarem ao mar, que ele se acalmará em volta de vocês; eu sei que foi por minha causa que lhes veio essa tempestade tão violenta”.

Os homens tentavam remar, a fim de chegar mais perto da terra firme, mas não conseguiam, pois o mar ia ficando cada vez mais agitado, ventando contra eles. Então invocaram a Javé, dizendo: “Ah! Javé! Não queremos morrer por causa deste homem. Não lances contra nós a culpa de um sangue inocente. Tu és Javé e fazes tudo o que desejas”.

Pegaram Jonas e o jogaram ao mar. Imediatamente o mar acalmou a sua fúria. Daí para frente aqueles homens começaram a temer muito a Javé, oferecendo-lhe sacrifícios e fazendo votos.

…pois de Deus vem a salvação – Javé enviou um peixe bem grande para que engolisse Jonas. E Jonas ficou no ventre do peixe três dias e três noites.Então Javé mandou que o peixe vomitasse Jonas em terra firme.

Opinião – ação e reação. Jonas recebeu um pedido de Deus e tentou fugir de sua recém recebida responsabilidade, e por isso foi punido, porém teve consciência que a punição era devido ao seu erro e a aceitou, encarando de frente, essa admissão e a humildade de pedir clemencia a Deus salvaram a vida de Jonas, e o mesmo serviu de exemplos para outros.

Responsório (Jn 2,2-8)

— Retirastes minha vida do sepulcro, ó Senhor!

Retirastes minha vida do sepulcro, ó Senhor!

— Do fundo do abismo, do ventre do peixe, Jonas rezou ao Senhor, o seu Deus, a seguinte oração:

Retirastes minha vida do sepulcro, ó Senhor!

— Na minha angústia clamei por socorro, pedi vossa ajuda do mundo dos mortos e vós me atendeste.

Retirastes minha vida do sepulcro, ó Senhor!

— Senhor, me lançastes no seio dos mares, cercou-me a torrente, vossas ondas passaram com furor sobre mim.

Retirastes minha vida do sepulcro, ó Senhor!

— Então, eu pensei: eu fui afastado para longe de vós; nunca mais hei de ver vosso Templo sagrado.

Retirastes minha vida do sepulcro, ó Senhor!

— E quando minhas forças em mim acabavam, do Senhor me lembrei, chegando até vós a minha oração.

Retirastes minha vida do sepulcro, ó Senhor!

Opinião – foi com esse tipo de oração que Jonas admitiu seu erro, se prostrou humilde diante do poder de Deus e solicitou o seu auxilio. Que tenhamos a consciência e a humildade para admitir nossos erros e tentarmos reparar eles de coração antes de solicitarmos o auxilio de Deus, que nos tornemos responsáveis por nossos atos.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 10,25-37)

O amor é prática concreta – Um especialista em leis se levantou, e, para tentar Jesus perguntou: “Mestre, o que devo fazer para receber em herança a vida eterna?” Jesus lhe disse: “O que é que está escrito na Lei? Como você lê?” Ele então respondeu: “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua força e com toda a sua mente; e ao seu próximo como a si mesmo.” Jesus lhe disse: “Você respondeu certo. Faça isso, e viverá!” Mas o especialista em leis, querendo se justificar, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” Jesus respondeu: “Um homem ia descendo de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos de assaltantes, que lhe arrancaram tudo, e o espancaram. Depois foram embora, e o deixaram quase morto. Por acaso um sacerdote estava descendo por aquele caminho; quando viu o homem, passou adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu, e passou adiante, pelo outro lado. Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu, e teve compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal, e o levou a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata, e as entregou ao dono da pensão, recomendando: ‘Tome conta dele. Quando eu voltar, vou pagar o que ele tiver gasto a mais’.” E Jesus perguntou: “Na sua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” O especialista em leis respondeu: “Aquele que praticou misericórdia para com ele.” Então Jesus lhe disse: “Vá, e faça a mesma coisa.”

Opinião – Jesus nessa passagem demonstra que não temos que ter nada em comum com o próximo para que ele seja digno de nosso auxilio, mas sim que devemos ajudar todos aqueles que precisarem, por mais diferente de nós que eles sejam.

O Padre Roger Araújo na homilia de hoje cita a importância de amarmos a Deus antes de tudo, pois assim os nossos outros amores da vida vão se ordenando, se alinhando, não ficando uma bagunça, uma disputa interna em nós, onde não sabemos exatamente o que queremos amar. Começando amando a Deus e todos os outros amores ficaram em seu lugar e ordem corretamente.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/27a-semana-tempo-comum-segunda-feira/?sDia=9&sMes=10&sAno=2017