Liturgia diária: 34º Domingo do Tempo Comum – Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo – 26/11/2017

Primeira leitura: Profecia de Ezequiel (Ez 34,11-12.15-17)

O governo de Javé –Assim diz o Senhor Javé: Eu mesmo vou procurar as minhas ovelhas. Como o pastor conta o seu rebanho, quando está no meio de suas ovelhas que se haviam dispersado, eu também contarei as minhas ovelhas, e as reunirei de todos os lugares por onde se haviam dispersado, nos dias nebulosos e escuros. Eu mesmo conduzirei as minhas ovelhas para o pasto e as farei repousar – oráculo do Senhor Javé. Procurarei aquela que se perder, trarei de volta aquela que se desgarrar, curarei a que se machucar, fortalecerei a que estiver fraca. Quanto à ovelha gorda e forte, eu a destruirei, pois cuidarei do meu rebanho conforme o direito”. Quanto a você, rebanho meu, assim diz o Senhor Javé: Vou julgar entre ovelha e ovelha, entre carneiros e bodes.”

Opinião – Deus procurará ativamente cada um de seus fieis, cabendo a estes aceitarem a Palavra de Deus em seus corações. Aqueles que estiverem machucados serão curados, aqueles que estiverem perdidos serão achados. Mas aqueles que estiverem florescendo em cima dos outros, tirando dos irmãos para terem a si mesmos, esses serão punidos.

Salmo responsório (Sl 22)

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Pelas águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo, e com óleo vós ungis minha cabeça; o meu cálice transborda.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Felicidade e todo bem hão de seguir-me por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Opinião – Aceitando o conhecimento de Deus em nossos corações e seguindo o seu caminho, tudo de bom há de termos em nossas vidas.

Segunda leitura: Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (1Cor 15,20-26.28)

Deus será tudo em todos – Mas não! Cristo ressuscitou dos mortos como primeiro fruto dos que morreram. De fato, já que a morte veio através de um homem, também por um homem vem a ressurreição dos mortos.Como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos receberão a vida.Cada um, porém, na sua própria ordem: Cristo como primeiro fruto; depois, aqueles que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. A seguir, chegará o fim, quando Cristo entregar o Reino a Deus Pai, depois de ter destruído todo principado, toda autoridade, todo poder. Pois é preciso que ele reine, até que tenha posto todos os seus inimigos debaixo dos seus pés. O último inimigo a ser destruído será a morte.E quando todas as coisas lhe tiverem sido submetidas, então o próprio Filho se submeterá àquele que tudo lhe submeteu, para que Deus seja tudo em todos.

Opinião – Jesus venceu a morte por nós, para nos mostrar que há vida sim quando deixamos para traz nossos corpos mundanos. Havendo ou não um pós vida, que aceitemos que podemos continuar a viver hoje deixando nossos mundos carnais para traz, nos dedicando a vivermos como Jesus, seguindo seu exemplo no Conhecimento do Pai.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 25, 31-46)

O juízo finalQuando o Filho do Homem vier na sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita, e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Venham vocês, que são abençoados por meu Pai. Recebam como herança o Reino que meu Pai lhes preparou desde a criação do mundo. Pois eu estava com fome, e vocês me deram de comer; eu estava com sede, e me deram de beber; eu era estrangeiro, e me receberam em sua casa; eu estava sem roupa, e me vestiram; eu estava doente, e cuidaram de mim; eu estava na prisão, e vocês foram me visitar’. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’ Então o Rei lhes responderá: ‘Eu garanto a vocês: todas as vezes que vocês fizeram isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizeram.’

Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastem-se de mim, malditos. Vão para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Porque eu estava com fome, e vocês não me deram de comer; eu estava com sede, e não me deram de beber; eu era estrangeiro, e vocês não me receberam em casa; eu estava sem roupa, e não me vestiram; eu estava doente e na prisão, e vocês não me foram visitar’. Também estes responderão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou sem roupa, doente ou preso, e não te servimos?’ Então o Rei responderá a esses: ‘Eu garanto a vocês: todas as vezes que vocês não fizeram isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizeram’. 46 Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna.”

Opinião – não devemos fazer o bem somente para Deus, devemos fazer o bem sempre, a todo momento que tivermos oportunidade. Deve ser nossa ação natural ajudar o próximo, não uma atitude sempre pensada ou que vá trazer dádivas a nos no futuro.

Um  bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/34o-domingo-tempo-comum-solenidade-de-jesus-cristo-rei-universo/?sDia=26&sMes=11&sAno=2017

Liturgia diária: 33ª Semana do Tempo Comum – Apresentação de Nossa Senhora – Terça-feira – 21/11/2017

Primeira leitura: Profecia de Zacarias (Zc 2,14-17)

Festeje e fique alegre, filha de Sião, pois eu estou vindo para morar com você – oráculo de Javé. Nesse dia, numerosas nações vão aderir a Javé e passarão a ser o meu povo. Eu virei morar em seu meio, e você ficará sabendo que foi Javé dos exércitos quem me mandou a você. Javé tomará Judá como sua porção na terra santa e tornará a escolher Jerusalém. Silêncio diante de Javé, criaturas todas, pois ele se levanta em sua morada santa.

Opinião – alegria, esperança e respeito com a vinda de Deus para nossas vidas. Nosso protetor, nosso guia.

Salmo responsório (Lc 1,46-55)

— O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

— A minh’alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador,

O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

— pois ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu nome.

O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

— Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos.

O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

— Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos e despediu, sem nada, os ricos.

O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

— Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

Opinião –quando deixamos Deus entrar em nossas vidas, nos deixamos guiar, iluminar pelo seu Conhecimento, diversas maravilhas acontecerão a nós.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 12,46-50)

Uma nova geração –Jesus ainda estava falando às multidões. Sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo.” Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?” E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos, pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai que está no céu, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.”

Opinião – Jesus eleva todos aqueles que agem conforme a fé em Deus ao status de sua família, são suas mães, seus irmãos. Quebra-se a corrente da sociedade onde sua vida era delimita pela sua origem familiar, assim também garantindo que as escolhas de cada um os tornariam dignos de serem salvos ou não.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo continua nessa linha de pensamento, explicando que ouvirmos e praticarmos os ensinamentos de Deus é que nos torna verdadeiros discípulos.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/33a-semana-tempo-comum-apresentacao-de-nossa-senhora-terca-feira/?sDia=21&sMes=11&sAno=2017

Liturgia diária: 27º Domingo do Tempo Comum – 08/10/2017

Primeira Leitura: Livro do Profeta Isaías (5,1-7)

Julguem vocês mesmos – Cantarei em nome do meu amigo um canto de amor para a sua vinha. O meu amigo possuía uma vinha em fértil colina. Capinou a terra, tirou as pedras e plantou nela videiras de uvas vermelhas. No meio, construiu uma guarita e fez um tanque de pisar uvas. Esperava que produzisse uvas boas, mas ela produziu uvas azedas. E agora, moradores de Jerusalém e homens de Judá, eu lhes peço: julguem entre mim e a minha vinha. O que mais eu deveria ter feito pela minha vinha, que não fiz? Por que esperei que desse uvas boas, e ela me deu uvas azedas? Pois agora, vou dizer-lhes o que farei com minha vinha: vou arrancar a sua cerca para que sirva de pasta; derrubarei o seu muro para que seja pisada. Vou fazer dela um matagal: ficará sem poder e sem capinar, só mato e espinhos crescerão nela; e às próprias nuvens eu mandarei que não chovam sobre ela. A vinha de Javé dos exércitos é a casa de Israel, e sua plantação preferida são os homens de Judá. Eu esperava deles o direito, e produziram injustiça; esperava justiça, e aí estão gritos de desespero!

Opinião – nesta passagem é mostrado como as vezes o esforço não é recompensado, até mesmo quando Deus fez de tudo pelo povo, o resultado ainda não foi o esperado por Ele, foi entregue o melhor ao povo, e o povo devolveu só o oposto. Diante disso nós faríamos o mesmo, destruir o projeto anterior e começar um novo, porém não foi o que ocorreu após o diluvio, Deus jurou não destruir seu projeto, que somos nós, e por isso enviou Jesus, seu filho, e mesmo este foi ignorar por muitos. Não sejamos iguais esses muitos, nos lembremos do exemplo de Jesus e utilizemos ainda do melhor que Deus nos deu, nossas vidas, e saibamos usa-las ao máximo de nosso potencial, não percamos tempos atrapalhando ou prejudicando o próximo, que cada minuto de nossa existência seja utilizado para nossa melhoria, nosso progresso, assim também progredindo em conjunto a nossa sociedade.

Salmo Responsório (Sl 79)

— A vinha do Senhor é a casa de Israel.

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Arrancastes do Egito esta videira, e expulsastes as nações para plantá-la; até o mar se estenderam seus sarmentos, até o rio os seus rebentos se espalharam.

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Por que razão vós destruístes sua cerca, para que todos os passantes a vindimem, o javali da mata virgem a devaste, e os animais do descampado nela pastem?

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! Convertei-nos, ó Senhor Deus do universo, e sobre nós iluminai a vossa face! Se voltardes para nós, seremos salvos!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

Opinião – Salmo que pede pela proteção de Deus novamente, ainda seguindo a linha da passagem da vinha da primeira leitura. Por vezes nossas ações atraem reações negativas, seguindo a lei do universo de que toda ação há uma reação, então devemos aprender não somente a pedir proteção a Deus, mas a merece-la, não ficarmos acumulando erros, pecados, realizações de desejos mundanos e depois corrermos para a proteção do Pai quando as coisas não estiverem da maneira que achamos justo, sejamos primeiro justos, corretos, direitos, para então sermos dignos da proteção e justiça do pai.

Segunda Leitura: Carta de São Paulo aos Filipenses (Fi 4,6-9)

Não se inquietem com nada. Apresentem a Deus todas as necessidades de vocês através da oração e da súplica, em ação de graças. Então a paz de Deus, que ultrapassou toda compreensão, guardará em Jesus Cristo os corações e pensamentos de vocês.
Finalmente, irmãos, ocupem-se com tudo o que é verdadeiro, nobre, justo, puro, amável, honroso, virtuoso, ou que de algum modo mereça louvor. Pratiquem tudo o que vocês aprenderam e receberam como herança, o que ouviram e observaram em mim. Então o Deus da paz estará com vocês.

Opinião – passagem que reforça a minha interpretação sobre a primeira leitura de o salmo de hoje: sejamos dignos das maravilhas de Deus antes de ficarmos suplicando a tudo para Ele; pois agindo de maneira direita, correta, nos tornamos dignos das maravilhas de Deus e por nossas próprias ações iremos plantar e colher, produzir vidas corretas e boas para nós, sempre nos lembrando do exemplo de Jesus Cristo e seguindo a Luz que a Palavra e o Conhecimento nos trazem.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 21,33-43)

Jesus acusa as autoridades – “Escutem essa outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, cercou-a, fez um tanque para pisar a uva e construiu um torre de guarda. Depois arrendou a vinha para alguns agricultores e viajou para o estrangeiro. Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos agricultores para receber os frutos.
Os agricultores, porém, agarraram os empregados, bateram num, mataram outro, e apedrejaram o terceiro. O proprietário mandou de novo outros empregados, em maio número que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma. Finalmente, o proprietário enviou-lhes o seu próprio filho, pensando: ‘Eles vão respeitar meu filho’. Os agricultores, porém, ao verem o filho, pensaram: ‘Esse é o herdeiro. Venham, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança.’ Então agarraram o filho, o jogaram para fora da vinha e o mataram.
Pois bem: quando o dono da vinha voltar, o que irá fazer com esses agricultores?”
Os chefes dos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “É claro que mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros agricultores, que lhe entregarão o fruto no tempo certo.”
Então Jesus disse a eles: “Vocês nunca leram na Escritura: ‘A pedra que os construtores deixaram de lado tornou-se a padre mais importante; isso foi feito pelo Senhor e é admirável aos nossos olhos’? Por isso eu lhes afirmo: o Reino de Deus será tirado de vocês, e será entregue a uma nação que produzirá seus frutos.”

Opinião – nessa passagem Jesus continua na mesma linha das outros leituras de hoje, mas troca a questão das uva azedas pela questão da ganancia humana, fazendo uma clara comparação a Sua vinda e a dádiva de Deus que é a nossa vida, e que já naquela época era desperdiçada com comportamentos mundanos. Deus mandou profetas e mais profetas, enviou seu próprio filho, Jesus, e mesmo assim a sociedade matou, ignorou ou maltratou a todos. Cabe portanto a cada um de nós escolhermos o caminho de Deus, deixarmos a Palavra entrar em nossos corações e alinharmos nossos modos de viver, nossas vidas, não aos costumes e vontades do mundo, mas sim aquelas direitas que vem de Deus.

O Padre Roger Araújo comenta na homilia de hoje justamente sobre essa nossa frieza em recebermos e aceitarmos a verdade de Deus, mesmo tendo os modos necessários, as oportunidades, ainda escolhemos termos um coração duro, gelado para esse Conhecimento, e isso irá nos afastar cada vez mais do Reino, trazendo claramente a degradação da sociedade, conforme já podemos ver.

Um bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/27o-domingo-tempo-comum/?sDia=8&sMes=10&sAno=2017

Liturgia Diária: 26ª Semana do Tempo Comum – Segunda-feira – 02/10/2017

Primeira Leitura: Livro do Êxodo (Ex 23,20-23)

Sejam fiéis –Vou enviar um anjo na frente de você, para que ele cuide de você no caminho e o leve até o lugar que eu preparei para você. Respeite-o e obedeça a ele. Não se revolte, porque ele leva consigo o meu nome, e não perdoará suas revoltas. Contudo, se você lhe obedecer fielmente e fizer tudo o que eu disser, então eu serei para você inimigo de seus inimigos e adversário de seus adversários. Meu anjo irá à frente de você e o levará aos amorreus, heteus, ferezeus, cananeus, heveus e jebuseus, e eu acabarei com eles.

Opinião – passagem onde fica claro o papel dos anjos da guarda em nossas vidas, e que devemos ouvir eles, para deixar que eles nos guiem enquanto vamos passando pelas dificuldades, e não sermos surdos para os concelhos, ou cegos para a luz que ilumina o Caminho de Deus em nossas vidas.

Salmo Responsório (Sl 90)

— O Senhor deu uma ordem aos seus Anjos, para em todos os caminhos te guardarem.

O Senhor deu uma ordem aos seus Anjos, para em todos os caminhos te guardarem.

— Quem habita ao abrigo do Altíssimo e vive à sombra do Senhor onipotente, diz ao Senhor: “Sois meu refúgio e proteção, sois o meu Deus, no qual confio inteiramente”.

O Senhor deu uma ordem aos seus Anjos, para em todos os caminhos te guardarem.

— Do caçador e do seu laço ele te livra. Ele te salva da palavra que destrói. Com suas asas haverá de proteger-te, com seu escudo e suas armas, defender-te.

O Senhor deu uma ordem aos seus Anjos, para em todos os caminhos te guardarem.

— Não temerás terror algum durante a noite, nem a flecha disparada em pleno dia; nem a peste que caminha pelo escuro, nem a desgraça que devasta ao meio-dia.

O Senhor deu uma ordem aos seus Anjos, para em todos os caminhos te guardarem.

— Nenhum mal há de chegar perto de ti, nem a desgraça baterá à tua porta; pois o Senhor deu uma ordem a seus Anjos para em todos os caminhos te guardarem.

Opinião – salmo que reafirma a proteção de Deus, seja pelos seus Anjos, seja pela intervenção divina e direta em nós.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 18,1-5.10)

Quem é o maior na comunidade? – Naquele momento, os discípulos se aproximaram de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino do Céu?Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles, e disse: “Eu lhes garanto: se vocês não se converterem, e não se tornarem como crianças, vocês nunca entrarão no Reino do Céu. Quem se abaixa, e se torna como essa criança, esse é o maior no Reino do Céu. E quem recebe em meu nome uma criança como esta, é a mim que recebe.”

Opinião – aqui vemos o questionamento de quem é o maior perante Deus por parte dos discípulos, num claro momento de demonstração do Ego tentando controlar sua fé, e então Jesus usa esse momento para mostrar com a inocência, a pureza e a inocência das crianças é que são os ingredientes chave para a grandiosidade nos céus, que é realmente viver a dadiva da nossa vida de uma maneira completa, sem ferirmos ao próximo ou a nós mesmos, algo que parece que perdemos conforme vamos deixando de ser criança e o mundo vai impregnando seus trejeitos em nossa mente.

O Padre Roger Araújo na homilia de hoje expande essa noção da pureza das crianças junto a nossa capacidade de ouvirmos nossos Anjos da Guarda, assim vivendo uma vida mais plena, mais completa.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/26a-semana-tempo-comum-segunda-feira/?sDia=2&sMes=10&sAno=2017

Liturgia Diária: 25º Domingo do Tempo Comum – 24/09/2017

Primeira Leitura: Livro do Profeta Isaías (Is 55,6-9)

Procurem Javé – Procurem Javé enquanto ele se deixa encontrar, chamem por ele quanto está perto. Que o injusto deixe o seu caminho e o homem maldoso mude os seus projetos. Cada um volte para Javé ele terá compaixão, volte para o nosso Deus, pois ele perdoa com generosidade.

Os meus projetos não são os projetos de vocês, e os caminhos de vocês não são os meus caminhos – oráculo de Javé. Tanto quanto o céu esta acima da terra, assim os meus caminhos estão acima dos caminhos de vocês, e os meus projetos estão acima dos seus projetos.

Opinião – passagem que expressa que ao mudarmos, aceitarmos nossos pecados e de coração desejarmos seguir o Caminho da Sabedoria de Deus, seremos aceitos, e em seguida é afirmado que o projeto de Deus, os seus caminho, são superiores os caminhos e projetos mundanos que muitas vezes nossas mentes ficam desperdiçando tempo e recursos.

Salmo Responsório (Sl 144)

– O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

– Todos os dias haverei de bendizer-vos, hei de louvar o vosso nome para sempre. Grande é o Senhor e muito digno de louvores, e ninguém pode medir sua grandeza.

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

– Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, é compaixão. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura.

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

– É justo o Senhor em seus caminhos, é santo em toda obra que ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente.

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

Opinião – salmo que relembra a bondade de Deus, nosso Senhor, e que ele sempre estará próximo de nós quando o invocarmos, seja para pedir proteção, orientação ou agradecer por nossos frutos de nossos trabalhos.

Segunda Leitura: Carta de São Paulo aos Filipenses: (Fl1,20c-24.27a)

O que desejo e espero é não fracassar, mas, agora como sempre, manifestar com toda a coragem a glória de Cristo em meu corpo, tanto na vida, como na morte. Pois para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Mas se eu ainda continuar vivendo, poderei fazer algum trabalho útil. Por isso é que não sei bem o que escolher. Fico n indecisão: meu desejo é parti dessa vida e estar com Cristo, e isso é muito melhor. No entanto, por causa de vocês, é mais necessário que eu continue a viver. Uma só coisa importa: comportem-se como pessoas dignas do Evangelho de Cristo.

Opinião – vivendo em uma época de perseguições constantes, morrer já seria mais fácil para Paulo pois ai ele estaria ao lado de Jesus, o grande mestre e tudo estaria bem. Mas ele sabe que ele ainda tem que viver mais, a dádiva da vida ainda não acabou para ele, então ele decide fazer algo útil com seu tempo: espalhar o Conhecimento de Deus.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 20,1-16a)

O Reino é dom gratuito – “De fato, o Reino do Céu é como um patrão, que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia, e os mandou para a vinha. às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo. Viu outros que estavam desocupados na praça, e lhes disse: ‘Vão vocês também para a minha vinha. Eu lhes pagarei o que for justo.’ E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia e às três horas da tarde, e fez a mesma coisa. Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde, encontrou outros que estavam na praça, e lhes disse:’ Por que vocês estão aí o dia inteiro desocupados?’ Eles responderam: ‘Porque ninguém nos contratou.’ O patrão lhes disse: ‘Vão vocês também para a minha vinha’. Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: ‘Chame os trabalhadores e pague uma diária a todos. Comece pelos últimos, e termine pelos primeiros’. Chegaram aqueles que tinham sido contratados pelas cinco da tarde, e cada um recebeu uma moeda de prata. Em seguida chegaram os que foram contratados primeiro, e pensavam que iam receber mais. No entanto, cada um deles também recebeu uma moeda de prata. Ao receberam o pagamento, começaram a resmungar contra o patrão: ‘Esses últimos trabalharam uma hora só, e tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor do dia inteiro!’ E o padrão disse a um deles: ‘Amigo, eu não fui injusto com você. Não combinamos uma moeda de prata? Tome o que é seu e volte para casa. Eu quero dar também a esse, que foi contratado por último, o mesmo que dei a você. Por acaso não tenho o direito de fazer o que eu quero com aquilo que me pertence? Ou você está com ciúme porque estou sendo generoso?’ Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos.”

Opinião – passagem difícil de entender se nós basearmos no conceito atual e mundano de valor e merecimento. Não seria justo remunerar alguém por seu trabalho com o mesmo valor que outra pessoa que trabalhou na mesma função por muito menos tempo com o mesmo valor. Mas não é esse o caso aqui: aqui Jesus compara com essa historia o fato de que o Reino do Céu é um dom, um presente que Deus dá a aqueles que vivem a vida inteira sob suas regras e também para aqueles que enxergam e aceitam o Conhecimento da Palavra de Deus em seus últimos dias.

A homilia de hoje trabalha justamente nesse quesito de ser ‘justo’ ou injusto, e a inveja que vem junto disso quando começamos a querer julgar os atos e pessoas. Não devemos deixar nossas mentes e corações irem por esse caminho, devemos prosperar, ajudar o próximo e não ficarmos discutindo se eles são merecedores ou não dos frutos de seus trabalhos.

Um bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/25o-domingo-tempo-comum/?sDia=24&sMes=09&sAno=2017

Liturgia diária: 24º Domingo do Tempo Comum – 17/09/2017

Primeira Leitura: Livro do Eclesiástico (Eclo 27,30- 28,9)

Perdoe, e você será perdoado – Rancor e cólera são coisas abomináveis, mas o pecador as conserva.

Quem se vinga sofrerá a vingança do Senhor, que severamente lhe pedirá contas de seus pecados. Perdoes e injustiça que o seu próximo cometeu e, quando você pedir, Deus também perdoará os pecados que você tiver cometido. Se um homem guarda rancor contra outro, como poderá pedir para que Deus o cure? Se não usa de misericórdia para com o seu semelhante, como se atreve a pedir perdão de seus próprios pecados? Se ele, que é carne, guarda rancor, quem perdoará os seus pecados?

Lembre-se do seu fim, e pare de odiar. Lembre-se da corrupção e da morte, e persevere nos mandamentos. Lembre-se dos mandamentos, e não guarde rancor contra o seu próximo. Lembre-se da aliança com o Altíssimo, e não leve em conta a ofensa que fizeram a você.

Opinião – Passagem que demonstra como vamos ser julgados conforme nossas ações, se formos bons, nos tornaremos dignos do bom julgamento, agora se formos ruins, não devemos esperar boas ações para conosco. Somos medidos com a mesma régua que usamos para medir os próximos.

Salmo Responsório (Sl 102)

– O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.

O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.

– Bendize, ó minha alma ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores!

O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.

– Pois ele te perdoa toda culpa, e cura toda a tua enfermidade; da sepultura ele salva a tua vida e te cerca de carinho e compaixão.

O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.

– Não fica sempre repetindo as suas queixas, nem guarda eternamente o seu rancor. Não nos trata como exigem nossas faltas, nem nos pune em proporção às nossas culpas.

O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.

– Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem; quanto dista o nascente do poente, tanto afasta para longe nossos crimes.

O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso.

Opinião – salmo que exalta as qualidade do Senhor, e como sua bondade permite o nosso progresso, e como devemos agir para continuar recebendo ela.

Segunda leitura: Carta de São Paulo aos Romanos: (Rm 14,7-9)

Porque nenhum de vocês vive para si mesmo, e ninguém morre para si mesmo. Se vivemos, é para o Senhor que vivemos; se morremos, é para o Senhor que morremos. Quer vivamos, quer morremos, pertencemos ao Senhor. Cristo morreu e voltou à vida para ser o Senhor dos mortos e dos vivos.

Opinião – Não devemos ser egoístas e achar que o milagre da vida que recebemos deve ser aplicado somente a nossa existência. Devemos sim, nos desenvolvermos por completo, procurar sempre atingir nosso desenvolvimento pleno e objetivos, mas sempre lembrando de fazermos isso por meio do Conhecimento de Deus, seguindo o exemplo de Vida de Jesus, que viveu e morreu para ser nosso norte, nossa estrela guia na maneira de vivermos.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 18,21-35)

Perdoar sem limites – Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até setes vezes?” Jesus respondeu: “Não lhe digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Porque o Reino do Céu é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados.

Quando começou o acerto, levaram a ele um que devia dez mil talentos. Como o empregado não tinha como pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida. O empregado, porém, caiu aos pés do patrão e, ajoelhado, suplicava: ‘Dê-me um prazo. E eu lhe pagarei tudo’. Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e lhe perdoou a dívida. Ao sair daí, esse empregado encontrou um de seus companheiros que lhe devia cem moedas de prata. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague logo o que me deve’. O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: ‘Dê-me um prazo, e eu pagarei a você’. Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia.

Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. O patrão mandou chamar o empregado e lhe disse: ‘Empregado miserável! Eu lhe perdoei toda a sua divida, porque você me suplicou. E você, não devia também ter compaixão do seu companheiro, como eu tive de você? O patrão indignou-se, e mandou entregar esse empregados aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. É assim que fará com vocês o meu Pai que está no céu, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão.”

Opinião – novamente o Conhecimento a ser retirado dessa passagem é vinculado ao fato que se queremos algo para nós, devemos agir conforme esse algo. Se queremos justiça conosco, devemos ser justos com os outros. Somos medidos e julgados pela mesma régua que usamos para medir os outros.

O Padre Roger Araújo realça na homilia de hoje a importância do perdão, não que nos toremos anjos, pois somos falhos como humanos, mas que perdoar é justamente derrotar essas nossas falhas, e por tanto, chegarmos mais perto da Sabedoria de Deus.

Um bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/24o-domingo-comum/?sDia=17&sMes=09&sAno=2017

Liturgia diária: 23º Domingo do Tempo Comum – 10/09/2017

Primeira Leitura: Profecia de Ezequiel (Ez 33,7-9)

Criatura humana, eu o coloquei como vigia da casa de Israel. quando você ouvir minha mensagem, você precisa avisá-los. Se para o injusto eu digo: ‘Injusto, é certo que você vai morrer’, se você não avisa o injusto para que mude de comportamento, o injusto morrerá por causa de sua própria culpa, mas é a você que eu pedirei contas do sangue dele. Ao contrário, se você prevenir o injusto para que ele mude de comportamento, e ele não mudar, ele morrerá por causa de sua própria culpa, as você terá salva a sua própria vida.”

Opinião – mensagem direta e reta: se sabemos o certo e o errado e temos a possibilidade de ajudar alguém a deixar de fazer o errado, temos a obrigação de fazer isso, pois a omissão da ajuda é um erro tão grande quando cometer os erros em si.

Salmo Responsório (Sl 94)

– Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

– Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos o Rochedo que nos salva! Ao seu encontro caminhemos com louvores, e com cantos de alegria o celebremos!

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

– Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

– Oxalá ouvi-se hoje a sua voz: “Não fecheis os corações como em Meriba, como em Massa, no deserto, aquele dia, em que outrora vossos pais me provocaram, apesar de terem visto as minhas obras”.

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

Opinião – salmo de agradecimento e de orientação, não devemos ignorar quando Deus fala com nossos corações, pois mesmo os antigos povos terem visto os milagres e ainda terem fechado seus corações para Deus, ele continua querendo nos guiar, nos ajudar, nos iluminar.

Segunda leitura: Carta de São Paulo aos Romanos (Rm 13,8-10)

O amor é o pleno cumprimento da Lei – Não fiquem devendo nada a ninguém, a não ser o amo mútuo. Pois quem ama o próximo cumpriu plenamente a Lei. De fato, os mandamentos: não cometa adultério, não mate, não roube, não cobice, e todos os outros se resume nesta sentença: “Ame o seu próximo como a si mesmo.”  amor não pratica o mal contra o próximo, pois o amor é o pleno cumprimento da Lei.

Opinião – essa passagem exemplifica como Jesus veio para facilitar o entendimento, evitando de que o conhecimento fica-se nas mãos de alguns poucos, que orientavam mal o povo: Jesus resumiu o comportamento humano correto em um mandamento, aquele de amarmos o nosso próximo como a nós mesmos, basicamente  pedindo para sempre nos colocarmos na outra ponta de nossas ações, e procurando agir da maneira como gostaríamos que agissem conosco.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 18,15-20)

E quando o irmão peca? – “Se o seu irmão pecar, vá e mostre o erro dele, mas em particular, só entre vocês dois. Se ele der ouvidos, você terá ganho seu irmão.Se ele não lhe der ouvido, tome com você mais ou ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. Caso ele não dê ouvidos, comunique à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele der ouvidos, seja tratado como se fosse um pagão ou um cobrados de impostos. Eu lhes garanto: tudo o que vocês ligarem na terra, será ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra, será desligado no céu. E lhes digo ainda mais: se dois de vocês na terra estiverem de acordo sobre qualquer coisa que queiram pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está no céu. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí no meio deles.”

Opinião – passagem que me lembra aquela sabedoria popular que devemos ‘corrigir no particular e elogiar no publico’ quando lidamos com outras pessoas e seus erros, entendo a passagem que devemos tentar corrigir o irmão que age errado de maneira particular, depois no ciclo de pessoas mais próximos e por fim como comunidade, e se mesmo assim o irmão quiser continuar cometendo erros, que ele passe a arcar com as consequências, pois nem sempre vamos poder corrigir os outros, mas quando estivermos juntos em dois ou mais, e todos estiverem pensando com clareza, naturalidade e pelo bem de cada um presente e da sociedade composto por estes, que nossas decisões sejam guiadas por Deus e direcionadas para um bem maior dos indivíduos e da sociedade.

Continuando no quesito de ajudar e corrigir o próximo, interessante na homilia de hoje como o Padre Roger Araújo lembra que para corrigir o próximo, devemos primeiro corrigir a nós mesmos, tendo humildade para admitirmos que também erramos.

Um bom domingo a todos.

Fontes

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/23o-domingo-tempo-comum/?sDia=10&sMes=09&sAno=2017

Liturgia diária: Natividade de Nossa Senhora – Sexta-feira – 08/09/2017

Primeira leitura: Livro do profeta Miquéias (Mq 5,1-4a)

O Messias virá de Belém – Mas vocês, Belém de Éfrata, tão pequena entre as principais cidades de Judá! É de você que sairá para mim aquele que há de ser o chefe de Israel! A origem dele é antiga, desde tempos remotos. Pois Deus os entrega só até que a mãe dê a luz, e o resto dos irmãos volte aos israelitas. De pé, ele governará com a própria força de Javé, com a majestade do nome de Javé, seu Deus. E habitarão tranquilos, pois ele estenderá o seu poder até as extremidades da terra. Ele próprio será a paz.

Opinião – passagem profética onde se torna publico que o Salvador, na figura de Jesus virá de Belém, a menor das cidades. E Ele irá governar com o apoio de Deus, mostrando que da origem mais humilde vem as maiores conquistas.

Salmo Responsório (Sl 70)

– Exulto de alegria no Senhor

Exulto de alegria no Senhor

– Sois meu apoio deste antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo: para vós o meu louvor eternamente!

Exulto de alegria no Senhor

– Uma vez que confiei no vosso amor, meu coração, por vosso auxílio, rejubile, e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!

Exulto de alegria no Senhor

Opinião – Deus esta conosco desde o momento em que nascemos, e assim que entregamos nosso coração a ele, aceitando a Palavra de Deus, o Conhecimento e Sabedoria que vem com ela, nosso coração se torna mais feliz, mais realizado, e que comemoremos isso sempre.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 1,18-23)

O começo de uma nova história – A origem de Jesus, o Messias, foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo. Não queria denunciar Maria, e pensava em deixá-la, sem ninguém saber. Enquanto José pensava nisso, o Anjo do Senhor lhe apareceu em sonho, e disse: “José, filho de Davi, não tenha medo de receber Maria como esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você lhe dará o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados.”

Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Vejam: a virgem conceberá e dará luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emmanuel, que quer dizer: Deus está conosco.

Opinião – Jesus desde a sua concepção já veio para quebrar as regras rígidas da sociedade da época: Por ainda não estar casada, Maria não deveria ter relações e José não deveria receber ela como esposa ela já estando gravida, seria errado aos olhos da sociedade, mas o Anjo do Senhor coloca Conhecimento e Sabedoria diante de José e informa que esse filho será nomeado Jesus por José e assim a trajetória de Jesus mostrar que convenções sociais podem ser importantes mas que devemos lutar contra aquelas que oprimem os povos começa.

O Padre Roger Araújo na homilia de hoje continua com a comemoração da Natividade de Maria, lembrando que Maria é adorada não por ser uma deusa, com poderes, mas sim por sua humildade, pela confiança em Deus e no seu plano. Acrescendo que Maria e José foram exemplos para Jesus, sempre iluminados pelo Espírito Santo, criando e protegendo Jesus de uma maneira que ele também pude-se crescer e concretizar os planos de Deus, de ser o nosso Messias. Que também sejamos um exemplo como Maria e José foram.

Um bom dia a todos.

Fontes

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/natividade-de-nossa-senhora-sexta-feira/?sDia=8&sMes=09&sAno=2017