Apple investindo no desenvolvimento de chips para a saúde

 Jordan Novet e Christina Farr da CNBC informam que a Apple sob a gestão de Tim Cook esta procurando expandir a sua divisão de desenvolvimento de chips da área de saúde através da contratação de arquitetos de sensores digitais e analógicos. Hoje o Apple Watch já possui sensores ópticos que podem monitorar o batimento cardíaco, e há uma expectativa de que estes mesmos tipos de sensores possam ser utilizados em exames substituindo a necessidade de técnicas invasivas como a retirada de sangue e outros materiais das pessoas.

A evolução de tal tecnologia de sensores aliada a popularização de dispositivos sempre conectados, tais como celulares e os relógios inteligentes de marcas como a própria Apple e concorrentes como a Samsung irão logo permitir um cenário de monitoramento constante da saúde dos usuários, permitindo a oferta de serviços de saúde onde as informações dos pacientes serão atualizadas em tempo real para uma central possivelmente na ‘nuvem’.

Hoje esse tipo de monitoramento esta disponível em UTIs e leitos hospitalares onde os sinais vitais dos pacientes são captados por equipamentos específicos e enviados para uma central de monitoramento de onde os profissionais da saúde podem observar todos os pacientes, mesmo aqueles que estejam em isolamento e fora do alcance visual. Tal monitoramento também permite que qualquer parâmetro que sai do normal já dispare um aviso para que a equipe medica possa atuar diretamente.

Os SmartWatches já são uma realidade com aceitação pela população, agregando esta funcionalidade iria abrir um novo ramo de atuação para diversas empresas e traria benefícios para o acompanhamento da saúde de uma população mundial que tende a viver mais e mais, sempre contando com os avanços nas ciências do cuidado e da manutenção da vida. Claro que tais informações tão pessoais circulando em tal volume ira também focar ainda mais na necessidade de privacidade/segurança e no armazenamento e analise de todas essas informações, indo portanto ao encontro com os temas que o professor Voorwald indicou na palestra sobre a educação continua e o desenvolvimento de novas tecnologias.