Liturgia Diária: 24ª Semana do Tempo Comum – Sexta-feira – 22/09/2017

Primeira Leitura: Primeira Carta de São Paulo a Timóteo (1Tm 6,2c-12)

O falso doutor – Isto é o que você deve ensinar e recomendar. Pois, quem ensina coisas diferentes, que não concordam com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensinamento conforme a piedade, é cego, não entende nada, é doente à procura de discussões e brigas de palavras. É dai que nascem invejas, brigas, blasfêmias, suspeitas, polêmicas intermináveis, coisas típicas de homens de espírito corrupto e desprovidos da verdade. Eles supõem que a piedade é fonte de lucro. De fato, a piedade é grande fonte de lucro, mas para quem sabe se contentar. Pois não trouxemos nada para o mundo, e dele nada podemos levar. Se temos o que comer e com que nos vestir, fiquemos contentes com isso. Aqueles, porém, que querem tornar-se ricos, caem na armadilha da tentação e em muitos desejos insensatos e perniciosos, que fazem os homens afundarem na ruína e perdição. Porque a raiz de toso os males é o amor ao dinheiro. Por causa dessa ânsia de dinheiro, alguns se afastaram da fé e afligem a si mesmos com muitos tormentos.

O verdade doutor – Você, porém, homem de Deus, fuja dessas coisas. Procure a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança, a mansidão. Combata o bom combate da fé, conquiste a vida eterna, para a qual você foi chamado. Isso você o reconheceu numa bela profissão de fé diante de muitas testemunhas.

Opinião – passagem que procura deixar claro quais são nossos objetivos na vida: não acumular itens e riquezas materiais, mas viver uma vida plena, correta, procurando nos desenvolvermos por completo e ajudar nossos próximos nessa jornada, no Caminho para uma vida eterna, não por anos sem vim, mas vivida em sua plenitude.

Salmo Responsório (Sl 48)

– Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Porque temer os dias maus e infelizes, quando a malícia dos perversos me circunda? Por que temer os que confiam nas riquezas e se gloriam na abundância de seus bens?

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Ninguém se livra de sua morte por dinheiro nem a Deus pode pagar o seu resgate. A isenção da própria morte não tem preço; não há riqueza que a possa adquirir, nem dar ao homem uma vida sem limites e garantir-lhe uma existência imortal.

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Não te inquietes, quando um homem fica rico e aumenta a opulência de sua casa; pois ao morrer não levará nada consigo, nem seu prestígio poderá acompanhá-lo.

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Felicitava-se a si mesmo enquanto vivo: “Todos te aplaudem, tudo bem, isto é que é vida!” Mas vai-se ele para junto de seus pais, que nunca mais e nunca mais verão a luz!

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

Opinião – de nada adianta acumularmos riquezas nessa vida através de dias mal vividos. No final, todos voltamos a terra, viramos cinzas, deixamos esse mundo e dele não levamos nada, por isso devemos viver nossas vidas com plenitude, procurando viver cada minuto, cada momento com intensidade, com certeza, de maneira correta e direita, para termos a sensação de que não estamos desperdiçando a maior dádiva de Deus para nós.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 8,1-3)

As mulheres servem a Jesus – Depois disso, Jesus andava por cidades e povoados, pregando e anunciando a Boa Notícia do Reino de Deus. Os Doze iam com ele, e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos maus e doenças: Maria, chamada Madalena, da qual haviam saído sete demônios; Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana e várias outras mulheres, que ajudavam a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.

Opinião – em uma sociedade machista como a daquela época, onde as mulheres era basicamente donas de casa e ponto, essa passagem demonstra a importância das mulheres no grupo de Jesus, não entrando na questão das teorias de que Jesus era casado com Maria Madalena e que os discípulos tinham ciúmes dela, é importante notar que os bens que elas possuíam não devem ser expressamente notados como bens materiais, mas sim a força que as mulheres tem superiormente a dos homens, não uma força física, mas aquela vontade de progredir, de continuar, de superar as dificuldades, dai vindo o ditado que atrás de todo grande homem, há uma grande mulher.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo reforça essa mensagem a importância das mulheres para Jesus.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/24a-semana-tempo-comum-sexta-feira/?sDia=22&sMes=09&sAno=2017

Liturgia diária: Nossa Senhora das Dores – Sexta-feira – 15/09/2017

Primeira Leitura: Carta aos Hebreus (Hb 5,7-9)

Durante sua vida na terra, Cristo fez orações e súplicas a Deus, em alta voz e com lágrimas, ao Deus que o podia salvar da morte. E Deus o escutou, porque ele foi submisso. Embora sendo Filho de Deus, aprendeu a ser obediente através de seus sofrimentos. E, depois de perfeito, tornou-se a fonte da salvação eterna para todos aqueles que lhe obedecem.

Opinião – esse trecho humaniza Jesus, mostrando que mesmo ele sendo Filho de Deus, ele também aprendeu pela dor, assim como nós também podemos aprender, mas temos uma facilidade que Jesus nos deu: podemos aprender seguindo seu exemplo, entendendo seus ensinamentos, tendo o mesmo como um exemplo de vida, assim abrindo nossa mente para o Conhecimento de Deus, evitando sofrimentos em nossas vidas.

Salmo Responsório (Sl 30)

– Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

– Senhor, eu ponho em vós minha esperança; que eu não fique envergonhado eternamente. Porque sois justo, defendei-me e libertai-me; apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!

Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

– Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; por vossa honra orientai-me e conduzi-me!

Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

– Retirai-me dessa rede traiçoeira, porque sois o meu refúgio protetor! Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito; libertai-me do inimigo e do opressor!

Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

– A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, e afirmo que só vós sois o meu Deus! Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor!

Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

– Como é grande, ó Senhor, a vossa bondade, que reservaste para aqueles que vos temem! Para aqueles que em vós se refugiam, mostrando, assim, o vosso amor perante os homens.

Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

Opinião – Salmo mais longo, mas que define bem como devemos confiar em Deus e termos certeza das coisas boas que ele nos garante, que ele nos traz, a sua proteção pode ser ativa e também passiva: seguindo o exemplo de Deus através da Vida de Jesus, teremos sua proteção, pois saberemos qual é o caminho seguro a seguir.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São João (Jo 19,25-27)

A relação entre Israel e a comunidade de Jesus – A mãe de Jesus, a irmão da mãe dele, Maria de Cléofas, e Maria Madalena estavam junto à cruz. Jesus viu a mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava. Então disse à mãe: “Mulher, eis aí o seu filho.” Depois disse ao discípulo: “Eis aí a sua mãe.” E dessa hora em diante, o discípulo a recebeu e sua casa.

Opinião – nessa passagem Jesus quebra os laços de sangue da sua família e mostra que o conceito de família deve se estender a todos que tem uma crença igual, aqui tanto Maria quanto discípulo amavam Jesus, e o mesmo deixou claro um para o outro que eles seriam uma família agora, como mãe e filho. Devemos não ficar amando somente no nosso circulo social, mas ajudar a sociedade como um todo

A homilia de hoje é uma homenagem a Maria e valoriza a dor que ela passou a vida inteira como mãe de Jesus, sendo portanto um exemplo para todos e principalmente para as mães que sofrem com o mundo que as destrata, e também destrata seus filhos, mas essas mães devem seguir o exemplo de Maria e serem fortes, acreditarem em Deus e em seus filhos, assim também dando força a eles para que eles se desenvolvam, superem as dificuldades e conquistem uma vida de muitos frutos.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/nossa-senhora-das-dores-sexta-feira/?sDia=15&sMes=09&sAno=2017