Liturgia diária: 33ª Semana do Tempo Comum – Sábado – 25/11/2017

Primeira leitura: Primeiro Livro dos Macabeus (1Mc 6,1-13)

A morte do opressor –Quando percorria as províncias do planalto, o rei Antíoco ouviu falar que havia na Pérsia uma cidade chamada Elimaida, famosa pela sua riqueza em prata e ouro. Diziam que o templo dessa cidade era muito rico e que havia nele cortinas tecidas de ouro, couraças e armas aí deixadas pelo rei Alexandre, o macedônio, filho de Filipe, que foi o primeiro rei do império grego. Antíoco dirigiu-se para o local, pretendendo tomar e saquear a cidade. Mas não conseguiu, porque o pessoal da cidade, sabendo da sua pretensão, preparou-se para a guerra e o enfrentou. Antíoco teve de fugir, e foi com grande tristeza que deixou o lugar, a fim de voltar para a Babilônia. Ele ainda estava na Pérsia, quando recebeu a notícia de que as tropas enviadas contra a Judéia tinham sido derrotadas e que Lísias tinha tomado a iniciativa de enfrentar os judeus com poderoso exército, mas teve de recuar. Soube também que os judeus ficavam mais perigosos por causa da quantidade de armas, além de outros recursos e despojos que tomavam dos exércitos que iam derrotando. Contaram também que os judeus tinham tirado a abominação que ele colocara sobre o altar de Jerusalém, e que tinham cercado o Templo com muralhas altas como antigamente, fazendo o mesmo em Betsur, cidade que pertencia ao rei. Ao ouvir essas notícias, o rei ficou apavorado e totalmente atordoado, e caiu de cama, doente de tristeza, pois nada estava acontecendo como ele queria. Ficou aí muito tempo, cada vez mais deprimido. Percebendo que ia morrer, chamou todos os grandes e lhes disse: “O sono sumiu dos meus olhos, meu coração está abatido de tanta aflição. Eu disse a mim mesmo: ‘A que grau de aflição me vejo reduzido! Como é grande a onda em que estou me debatendo. Eu que era feliz e estimado quando estava no poder! Agora, porém, estou lembrando os males que fiz a Jerusalém, de onde tirei todos os objetos de prata e ouro que nela havia. Lembro-me dos habitantes de Judá que mandei matar sem motivo. Reconheço que é por causa de tudo isso que hoje me acontecem essas desgraças. Agora estou morrendo, cheio de tristeza e em terra estrangeira’ “.

Opinião – o rei todo poderoso começa a perder seus poderes e diante dessa mudança adoece de tristeza, pois as coisas já não são mais como ele queria. Nesse momento de tristeza ele percebe os erros que cometeu anteriormente, e já prepara o seu sucessor, pois sabe que não terás mais futuro agora que as mudanças contrarias a ele já estão ocorrendo. Devemos nos arrepender dos nossos erros e procurar viver corretamente antes que seja tarde demais para nós, para que possamos viver ainda plenamente, cientes dos erros que cometemos, mas também ciente de que não os cometeremos mais.

Salmo responsório (9A)

— Cantarei de alegria, ó Senhor, pois me livrastes!

Cantarei de alegria, ó Senhor, pois me livrastes!

— Senhor, de coração vos darei graças, as vossas maravilhas cantarei! Em vós exultarei de alegria, cantarei ao vosso nome, Deus Altíssimo!

Cantarei de alegria, ó Senhor, pois me livrastes!

— Voltaram para trás meus inimigos, perante vossa face pereceram. Repreendestes as nações, e os maus perdestes, apagastes o seu nome para sempre.

Cantarei de alegria, ó Senhor, pois me livrastes!

— Os maus caíram no buraco que cavaram, nos próprios laços foram presos os seus pés. Mas o pobre não será sempre esquecido, nem é vã a esperança dos humildes.

Cantarei de alegria, ó Senhor, pois me livrastes!

Opinião – devemos dar Graças a Deus sempre que sua luz, proteção, interagir em nossas vidas e nos mostrar as escolhas corretas. Devemos ser fieis na fé, e estarmos sempre de olhos e ouvidos abertos para as orientações de Deus.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 20,27-40)

Deus comprometido com a vida –Os saduceus afirmam que não existe ressurreição. Alguns deles se aproximaram de Jesus, e lhe propuseram este caso: Mestre, Moisés escreveu para nós: ‘Se alguém morrer, e deixar a esposa sem filhos, o irmão desse homem deve casar-se com a viúva, a fim de que possam ter filhos em nome do irmão que morreu’. Ora, havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu, sem ter filhos. Também o segundo e o terceiro casaram-se com a viúva. E assim os sete. Todos morreram sem deixar filhos. Por fim, morreu também a mulher. E agora? Na ressurreição, de quem a mulher vai ser esposa? Todos os sete se casaram com ela!” Jesus respondeu: “Nesta vida, os homens e as mulheres se casam, mas os que Deus julgar dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, não se casarão mais, porque não podem mais morrer, pois serão como os anjos. E serão filhos de Deus, porque ressuscitaram. E que os mortos ressuscitam, já Moisés indica na passagem da sarça, quando chama o Senhor de ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó’. Deus não é Deus de mortos, mas de vivos, pois todos vivem para ele.” Alguns doutores da Lei disseram a Jesus: “Foi uma boa resposta, Mestre.” E ninguém mais tinha coragem de perguntar coisa nenhuma a Jesus.

Opinião – Jesus veio para quebrar as correntes que controlavam a sociedade daquela época, mas mesmo assim o povo continua querendo aplicar os novos ensinamentos de Jesus nas mesmas regras e situações antigas. Aqui questionam quem será esposo de quem após a ressurreição, como se algo do passado defini-se o futuro, mas Jesus explica que isso não terá mais importância. O Importante é a realização através do Conhecimento de Deus, quando vivemos plenamente ele, não temos mais essa necessidade e ansiedade de premio em outra vida, pois ficamos realizados com cada dia nosso.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo trabalha justamente essa ideia de que a vida eterna é diferente da vida terrena, não podemos tentar comparar uma a outra, e que a nossa vida eterna já começa agora, hoje, com a aceitação de coração das luzes de Deus

Um bom sábado a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/33a-semana-tempo-comum-sabado/?sDia=25&sMes=11&sAno=2017

Liturgia diária: 33ª Semana do Tempo Comum – Quinta-feira – 23/11/2017

Primeira Leitura: Primeiro Livro dos Macabeus (1Mc 2,15-29)

Os funcionários do rei chegaram à cidade de Modin para fazer o povo mudar de religião e oferecer sacrifícios. Muitos israelitas aderiram a eles, porém Matatias e seus filhos ficaram de lado. Os funcionários do rei disseram a Matatias: “Você é personagem ilustre, homem importante nesta cidade, apoiado por filhos e parentes. Então saia na frente para cumprir as determinações do rei, conforme fizeram todas as nações, os cidadãos de Judá e os que ficaram em Jerusalém. Assim você e seus filhos passarão a fazer parte dos amigos do rei e serão recompensados com prata, ouro e muitos presentes”. Matatias respondeu em voz alta: “Mesmo quando todas as nações que moram dentro dos domínios do rei obedecerem à sua ordem e abandonarem a religião dos seus antepassados para se conformarem com as determinações dele, eu, meus filhos e meus parentes continuaremos vivendo de acordo com a Aliança dos nossos antepassados.Deus nos livre de abandonar a Lei e as tradições! Não! Nós não vamos obedecer às ordens do rei. Não vamos nos desviar da nossa religião, nem para a direita, nem para a esquerda”.

Foi só Matatias acabar de falar isso, um judeu tomou a frente, diante de todos, para oferecer o sacrifício no altar de Modin, seguindo as determinações do rei. Vendo isso, Matatias se indignou, tremeu de raiva e, num impulso da ira santa, avançou sobre o apóstata e o matou sobre o altar. Imediatamente matou também o funcionário do rei, que obrigava o povo a oferecer o sacrifício, e demoliu o altar. Ele estava agindo por amor à Lei, do mesmo modo como Finéias fez com Zambri, filho de Salu. Depois disso, Matatias saiu gritando pela cidade: “Quem tiver amor pela Lei e quiser permanecer na Aliança, que me acompanhe”. Ele e seus filhos fugiram para as montanhas, abandonando na cidade tudo o que possuíam.

O sábado foi feito para o homem – Muitos que amavam a justiça e o direito desceram para o deserto e aí ficaram.

Opinião – vamos ser tentados, cobiçados, atiçados, serão oferecidos a nós diversas coisas, tentações, para que andemos fora do caminho de Deus, e muitos ao nosso redor irão cair nessas tentações, mas mesmo que seja necessario deixar nossas conquistas para podermos continuar no caminho de Deus, isso devera ser feito e valerá a pena, pois é uma conquista a longo prazo, duradoura, que procuramos, e é isto que encontramos em Deus.

Salmo responsório (Sl 49)

— A todos que procedem retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

A todos que procedem retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

— Falou o Senhor Deus, chamou a terra, do sol nascente ao sol poente a convocou. De Sião, beleza plena, Deus refulge.

A todos que procedem retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

— “Reuni à minha frente os meus eleitos, que selaram a Aliança em sacrifícios!” Testemunha o próprio céu seu julgamento, porque Deus mesmo é juiz e vai julgar.

A todos que procedem retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

— Imola a Deus um sacrifício de louvor e cumpre os votos que fizeste ao Altíssimo. Invoca-me no dia da angústia, e então te livrarei e hás de louvar-me.

A todos que procedem retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

Opinião – todas as nossas ações corretas nos mantém no caminho de Deus, deixando sua luz mostrar esse caminho e escolhendo caminha-lo, haveremos sempre de contar com Deus para nos ajudar.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 19,41-44)

Jesus chora sobre Jerusalém – Jesus se aproximou, e quando viu a cidade, começou a chorar. E disse: “Se também você compreendesse hoje o caminho da paz! Agora, porém, isso está escondido aos seus olhos! Vão chegar dias em que os inimigos farão trincheiras contra você, a cercarão e apertarão de todos os lados. Eles esmagarão você e seus filhos, e não deixarão em você pedra sobre pedra. Porque você não reconheceu o tempo em que Deus veio para visitá-la.”

Opinião – Jesus percebe que nem sempre seus ensinamentos são ouvidos e assimilados, e isso o entristece, pois Ele sabe que a vida longe da sua palavra, longe do Conhecimento de Deus só traz tristezas e problemas.

O Padre Roger Araújo expressa na homilia de hoje que esse sofrimento faz parte da vida: “Não somos os únicos frustrados no mundo; a decepção também faz parte da vida. O que depender do outro, compete somente a ele.”

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/33a-semana-tempo-comum-quinta-feira/?sDia=23&sMes=11&sAno=2017

Liturgia diária: 33ª Semana do Tempo Comum – Quarta-feira – 22/11/2017

Primeira Leitura: Segundo Livro dos Macabeus (2Mc 7,1.20-31)

O testemunho dos mártires – Aconteceu também que sete irmãos foram presos junto com sua mãe. Espancando-os com relhos e chicotes, o rei pretendia obrigá-los a comer carne de porco, que era proibida.

Extraordinariamente admirável, porém, e digna da mais respeitável lembrança, foi a mãe. Ela, vendo morrer seus sete filhos num só dia, suportou tudo corajosamente, esperando no Senhor. Ela encorajava cada um dos filhos, na língua dos seus antepassados. Com atitude nobre, e animando sua ternura feminina com força viril, assim falava com os filhos: Não sei como vocês apareceram no meu ventre. Não fui eu que dei a vocês o espírito e a vida, nem fui eu que dei forma aos membros de cada um de vocês. Foi o Criador do mundo, que modela a humanidade e determina a origem de tudo. Ele, na sua misericórdia, lhes devolverá o espírito e a vida, se vocês agora se sacrificarem pelas leis dele”.

Antíoco pensou que a mulher o enganava e desconfiou que ela o estava insultando. Restava, porém, o filho mais novo. E o rei tentava convencê-lo, e até lhe garantiu, sob juramento, que, se renegasse as tradições dos antepassados, ele o tornaria rico e feliz, o teria como amigo e lhe daria cargos importantes. Entretanto, o menino não lhe deu a menor atenção. Por isso, o rei chamou a mãe e pedia que ela aconselhasse o menino para o próprio bem dele. Depois de muita insistência do rei, ela aceitou falar com o filho. Abaixou-se e, enganando esse rei cruel, usou a língua dos antepassados e falou assim: “Meu filho, tenha dó de mim. Eu carreguei você no meu ventre durante nove meses. Eu amamentei você por três anos. Eduquei, criei e tratei você até esta idade! Meu filho, eu lhe imploro: olhe o céu e a terra, e observe tudo o que neles existe. Deus criou tudo isso do nada, e a humanidade teve a mesma origem. Não fique com medo desse carrasco. Ao contrário, seja digno de seus irmãos e enfrente a morte. Desse modo, eu recuperarei você junto com seus irmãos, no tempo da misericórdia”.

Apenas ela acabou de falar, o rapazinho disse: “O que vocês estão esperando? Eu não obedeço às ordens do rei. Obedeço às determinações da Lei que foi dada a nossos antepassados através de Moisés. Quanto a você, que está procurando fazer tudo o que há de mau aos hebreus, você não vai conseguir escapar das mãos de Deus.

Opinião – mesmo diante das maiores adversidades, devemos nos manter fieis as tradições e costumes de Deus dentro dos nossos corações, podemos passar por mals bocados em nossas vidas, mas é nossa fé nos nossos costumes, nas nossas tradições, em tudo aquilo que Deus iluminou e nos guiou que ira nos dar forças para superar e seguir em diante, sempre guiados por Deus, sempre em procura de uma vida plena e melhor.

Salmo responsório (Sl 16)

— Ao despertar me saciará vossa presença, ó Senhor!

Ao despertar me saciará vossa presença, ó Senhor!

— Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, escutai-me e atendei o meu clamor! Inclinai o vosso ouvido à minha prece, pois não existe falsidade nos meus lábios!

Ao despertar me saciará vossa presença, ó Senhor!

— Os meus passos eu firmei na vossa estrada, e por isso os meus pés não vacilaram. Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me!

Ao despertar me saciará vossa presença, ó Senhor!

— Protegei-me qual dos olhos a pupila e guardai-me, à proteção de vossas asas. Mas eu verei, justificado, a vossa face e ao despertar me saciará vossa presença.

Ao despertar me saciará vossa presença, ó Senhor!

Opinião – nossos caminhos, nossas escolhas, quando iluminados por Deus serão sempre plenos, por vezes não ouvimos Deus ou não escolhemos a sua luz, e nesses momentos podemos cometer erros terrifeis ou não, mas é sempre na presença de Deus em nossas vidas que nos sentiremos melhor, realizados, plenos.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 19,11-28)

A espera ativa – Tendo eles ouvido isso, Jesus acrescentou uma parábola, porque estava perto de Jerusalém, e eles pensavam que o Reino de Deus ia chegar logo. Então Jesus disse: “Um homem nobre partiu para um país distante a fim de ser coroado rei, e depois voltar. Chamou então dez dos seus empregados, entregou cem moedas de prata para cada um, e disse: ‘Negociem até que eu volte.’ Seus concidadãos, porém, o odiavam, e enviaram uma embaixada atrás dele, dizendo: ‘Não queremos que esse homem reine sobre nós’. Mas, o homem foi coroado rei, e voltou. Mandou chamar os empregados, aos quais havia dado o dinheiro, a fim de saber quanto haviam lucrado. O primeiro chegou, e disse: ‘Senhor, as cem moedas renderam dez vezes mais’. O homem disse: ‘Muito bem, empregado bom. Como você foi fiel em coisas pequenas, receba o governo de dez cidades’. O segundo chegou, e disse: ‘Senhor, as cem moedas renderam cinco vezes mais’. O homem disse também a este: ‘Receba também você o governo de cinco cidades’. Chegou o outro empregado, e disse: ‘Senhor, aqui estão as cem moedas que guardei num lenço. Pois eu tinha medo de ti, porque és um homem severo. Tomas o que não deste, e colhes o que não semeaste’. O homem disse: ‘Empregado mau, eu julgo você pela sua própria boca. Você sabia que eu sou um homem severo, que tomo o que não dei, e colho o que não semeei. Então, por que você não depositou meu dinheiro no banco? Ao chegar, eu o retiraria com juros’. Depois disse aos que estavam aí presentes: ‘Tirem dele as cem moedas, e dêem para aquele que tem mil’. Os presentes disseram: ‘Senhor, esse já tem mil moedas!’ Ele respondeu: ‘Eu digo a vocês: a todo aquele que já possui, será dado mais ainda. Mas daquele que nada tem, será tirado até mesmo o que tem. E quanto a esses inimigos, que não queriam que eu reinasse sobre eles, tragam aqui, e matem na minha frente’.” Depois de dizer essas coisas, Jesus partiu na frente deles, subindo para Jerusalém.

Opinião – muitos receberão dádivas de Deus, que é ao mesmo tempo generoso e severo, aqueles que trabalharem com essas dádivas irão progredir, evoluir, crescer junto a elas, porém aqueles que as ignorarem, as esconderem, por essa atitude irão perder mais além do que as ganharam. De nada ainda sermos egoístas e guardarmos as dádivas para nós, devemos trabalhar elas, multiplicar elas, espalhar elas.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo expande muito bem essa ideia de que nosso esforço deve ser para maximixar nossas dadivas: “Estamos dormindo em cima dos nossos talentos, estamos dormindo em cima da graça de Deus e não a estamos levamos, a crescer e a multiplicar.

Não me refiro somente as coisas religiosas, Deus quer que todos os nossos talentos sejam multiplicados, sejam religiosos ou não. É tão bonito ver quando uma pessoa, começa fazendo uma coisa pequena e depois a transforma num dom maior.”

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/33a-semana-do-tempo-comum-quarta-feira/?sDia=22&sMes=11&sAno=2017