Liturgia diária: 27º Domingo do Tempo Comum – 08/10/2017

Primeira Leitura: Livro do Profeta Isaías (5,1-7)

Julguem vocês mesmos – Cantarei em nome do meu amigo um canto de amor para a sua vinha. O meu amigo possuía uma vinha em fértil colina. Capinou a terra, tirou as pedras e plantou nela videiras de uvas vermelhas. No meio, construiu uma guarita e fez um tanque de pisar uvas. Esperava que produzisse uvas boas, mas ela produziu uvas azedas. E agora, moradores de Jerusalém e homens de Judá, eu lhes peço: julguem entre mim e a minha vinha. O que mais eu deveria ter feito pela minha vinha, que não fiz? Por que esperei que desse uvas boas, e ela me deu uvas azedas? Pois agora, vou dizer-lhes o que farei com minha vinha: vou arrancar a sua cerca para que sirva de pasta; derrubarei o seu muro para que seja pisada. Vou fazer dela um matagal: ficará sem poder e sem capinar, só mato e espinhos crescerão nela; e às próprias nuvens eu mandarei que não chovam sobre ela. A vinha de Javé dos exércitos é a casa de Israel, e sua plantação preferida são os homens de Judá. Eu esperava deles o direito, e produziram injustiça; esperava justiça, e aí estão gritos de desespero!

Opinião – nesta passagem é mostrado como as vezes o esforço não é recompensado, até mesmo quando Deus fez de tudo pelo povo, o resultado ainda não foi o esperado por Ele, foi entregue o melhor ao povo, e o povo devolveu só o oposto. Diante disso nós faríamos o mesmo, destruir o projeto anterior e começar um novo, porém não foi o que ocorreu após o diluvio, Deus jurou não destruir seu projeto, que somos nós, e por isso enviou Jesus, seu filho, e mesmo este foi ignorar por muitos. Não sejamos iguais esses muitos, nos lembremos do exemplo de Jesus e utilizemos ainda do melhor que Deus nos deu, nossas vidas, e saibamos usa-las ao máximo de nosso potencial, não percamos tempos atrapalhando ou prejudicando o próximo, que cada minuto de nossa existência seja utilizado para nossa melhoria, nosso progresso, assim também progredindo em conjunto a nossa sociedade.

Salmo Responsório (Sl 79)

— A vinha do Senhor é a casa de Israel.

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Arrancastes do Egito esta videira, e expulsastes as nações para plantá-la; até o mar se estenderam seus sarmentos, até o rio os seus rebentos se espalharam.

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Por que razão vós destruístes sua cerca, para que todos os passantes a vindimem, o javali da mata virgem a devaste, e os animais do descampado nela pastem?

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! Convertei-nos, ó Senhor Deus do universo, e sobre nós iluminai a vossa face! Se voltardes para nós, seremos salvos!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

Opinião – Salmo que pede pela proteção de Deus novamente, ainda seguindo a linha da passagem da vinha da primeira leitura. Por vezes nossas ações atraem reações negativas, seguindo a lei do universo de que toda ação há uma reação, então devemos aprender não somente a pedir proteção a Deus, mas a merece-la, não ficarmos acumulando erros, pecados, realizações de desejos mundanos e depois corrermos para a proteção do Pai quando as coisas não estiverem da maneira que achamos justo, sejamos primeiro justos, corretos, direitos, para então sermos dignos da proteção e justiça do pai.

Segunda Leitura: Carta de São Paulo aos Filipenses (Fi 4,6-9)

Não se inquietem com nada. Apresentem a Deus todas as necessidades de vocês através da oração e da súplica, em ação de graças. Então a paz de Deus, que ultrapassou toda compreensão, guardará em Jesus Cristo os corações e pensamentos de vocês.
Finalmente, irmãos, ocupem-se com tudo o que é verdadeiro, nobre, justo, puro, amável, honroso, virtuoso, ou que de algum modo mereça louvor. Pratiquem tudo o que vocês aprenderam e receberam como herança, o que ouviram e observaram em mim. Então o Deus da paz estará com vocês.

Opinião – passagem que reforça a minha interpretação sobre a primeira leitura de o salmo de hoje: sejamos dignos das maravilhas de Deus antes de ficarmos suplicando a tudo para Ele; pois agindo de maneira direita, correta, nos tornamos dignos das maravilhas de Deus e por nossas próprias ações iremos plantar e colher, produzir vidas corretas e boas para nós, sempre nos lembrando do exemplo de Jesus Cristo e seguindo a Luz que a Palavra e o Conhecimento nos trazem.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 21,33-43)

Jesus acusa as autoridades – “Escutem essa outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, cercou-a, fez um tanque para pisar a uva e construiu um torre de guarda. Depois arrendou a vinha para alguns agricultores e viajou para o estrangeiro. Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos agricultores para receber os frutos.
Os agricultores, porém, agarraram os empregados, bateram num, mataram outro, e apedrejaram o terceiro. O proprietário mandou de novo outros empregados, em maio número que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma. Finalmente, o proprietário enviou-lhes o seu próprio filho, pensando: ‘Eles vão respeitar meu filho’. Os agricultores, porém, ao verem o filho, pensaram: ‘Esse é o herdeiro. Venham, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança.’ Então agarraram o filho, o jogaram para fora da vinha e o mataram.
Pois bem: quando o dono da vinha voltar, o que irá fazer com esses agricultores?”
Os chefes dos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “É claro que mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros agricultores, que lhe entregarão o fruto no tempo certo.”
Então Jesus disse a eles: “Vocês nunca leram na Escritura: ‘A pedra que os construtores deixaram de lado tornou-se a padre mais importante; isso foi feito pelo Senhor e é admirável aos nossos olhos’? Por isso eu lhes afirmo: o Reino de Deus será tirado de vocês, e será entregue a uma nação que produzirá seus frutos.”

Opinião – nessa passagem Jesus continua na mesma linha das outros leituras de hoje, mas troca a questão das uva azedas pela questão da ganancia humana, fazendo uma clara comparação a Sua vinda e a dádiva de Deus que é a nossa vida, e que já naquela época era desperdiçada com comportamentos mundanos. Deus mandou profetas e mais profetas, enviou seu próprio filho, Jesus, e mesmo assim a sociedade matou, ignorou ou maltratou a todos. Cabe portanto a cada um de nós escolhermos o caminho de Deus, deixarmos a Palavra entrar em nossos corações e alinharmos nossos modos de viver, nossas vidas, não aos costumes e vontades do mundo, mas sim aquelas direitas que vem de Deus.

O Padre Roger Araújo comenta na homilia de hoje justamente sobre essa nossa frieza em recebermos e aceitarmos a verdade de Deus, mesmo tendo os modos necessários, as oportunidades, ainda escolhemos termos um coração duro, gelado para esse Conhecimento, e isso irá nos afastar cada vez mais do Reino, trazendo claramente a degradação da sociedade, conforme já podemos ver.

Um bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/27o-domingo-tempo-comum/?sDia=8&sMes=10&sAno=2017

Liturgia diária: 26ª Semana do Tempo Comum – Quarta-feira – 04/10/2017

Primeira Leitura: Livro de Neemias (2,1-8)

No mês de Nisã do vigésimo ano do reinado de Artaxerxes, como era eu o responsável pela bebida, peguei o vinho e fui servir ao rei. Eu nunca me apresentara triste na presença dele. Então o rei me perguntou: “Por que você está com o rosto abatido? Você não está doente, mas tem o coração angustiado”. Eu me assustei, mas respondi ao rei: “Viva o rei para sempre! Como não iria ficar triste, quando a cidade onde estão enterrados os meus antepassados está em ruínas e suas portas devoradas pelo fogo?” O rei então me disse: “O que você gostaria de fazer?” Rezei ao Deus do céu, e respondi: “Se Vossa Majestade concorda e está satisfeito com o seu servo, deixe-me ir para Judá, a fim de reconstruir a cidade onde estão enterrados os meus antepassados”. O rei e a rainha, que estava sentada ao lado dele, me perguntaram: “Quanto tempo vai durar a sua viagem? Quando voltará?” Marquei uma data. O rei concordou e me deixou ir. Então acrescentei: “Se Vossa Majestade estiver de acordo, dê-me cartas de recomendação para os governadores da região ocidental do rio Eufrates, a fim de que me facilitem a viagem até Judá. Dê-me também uma carta para Asaf, guarda do parque florestal do rei, a fim de que ele me forneça a madeira necessária para reformar as portas da fortaleza do Templo, as portas da muralha e também a casa onde vou morar”. O rei me deu as cartas, porque a mão bondosa do meu Deus estava do meu lado.

Opinião – passagem histórica, onde é descrito o processo de pela honestidade de Neemias com seu Rei o mesmo é liberado a ir reconstruir sua terra e ainda recebe privilégios do Rei para realizar seu desejo. Isso ocorre pois Neemias tem fé em Deus de que reconstruir sua terra é o que ele deve fazer naquele momento, e por isso o Rei o liberta de seu compromisso pelo tempo necessário para atingir o objetivo e ainda garante a ele certos privilégios que somente um rei da época poderia, tudo pois o rei também esta sendo iluminado por Deus.

Salmo Responsório (Sl 136)

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando, com saudades de Sião. Nos salgueiros por ali penduramos nossas harpas.

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Pois foi lá que os opressores nos pediram nossos cânticos; nossos guardas exigiam alegria na tristeza: “Cantai hoje para nós algum canto de Sião!”

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Como havemos de cantar os cantares do Senhor numa terra estrangeira? Se de ti, Jerusalém, algum dia eu me esquecer, que resseque a minha mão!

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Que se cole a minha língua e se prenda ao céu da boca, se de ti não me lembrar! Se não for Jerusalém minha grande alegria!

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

Opinião – salmo com o tipo de expressão da época, onde o castigo era extremo para qualquer transgressão, por isso a repetição de que a língua deve colar ao céu da boca caso eu me esqueça de Jerusalém, isso representa um castigo penoso por nos esquecermos de Jerusalém, a cidade dos filhos de Deus, nossa origem, nossa raiz. Não devemos esquecer da nossa origem de fé, não necessariamente um pedaço de terra em algum local, mas sim a ideologia que ela representa.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 9,57-62)

Os primeiros passos do discípulo – Enquanto iam andando, alguém no caminho disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores.” Mas Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça.” Jesus disse a outro: “Siga-me.” Esse respondeu: “Deixa primeiro que eu vá sepultar meu pai.” Jesus respondeu: “Deixe que os mortos sepultem seus próprios mortos; mas você, vá anunciar o Reino de Deus.” Outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa primeiro que eu vá me despedir do pessoal de minha casa.” Mas Jesus lhe respondeu: Quem põe a mão no arado e olha para trás, não serve para o Reino de Deus.”

Opinião – nessa passagem é mostrado que devemos realmente deixar nosso meio de vida mundano para trás quando decidimos seguir o Caminho que a Luz da Palavra nos mostra, tradições devem ser quebradas, modos devem ser alterados, tudo para termos uma vida plena, completa, utilizando totalmente a dádiva de Deus que é nossa vida.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo expande essa ideia de deixarmos a vida atual para traz, de onde destaco essa passagem: “Veja, quem põe a mão no arado para trabalhar, põe o afinco, a alma, o coração, todo o seu ser para realizar aquilo. Não vive de um futuro que não chegou nem de um passado que já passou.” Se decidirmos aceitar de coração a Palavra de Deus, que seja com todo nosso empenho, com toda nossa vontade, não façamos nada dessa vida com menos do que nosso esforço total.

Uma boa noite a todos

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/26a-semana-tempo-comum-quarta-feira/?sDia=4&sMes=10&sAno=2017

Liturgia diária: 25ª Semana do Tempo Comum – Terça-feira – 26/09/2017

Primeira Leitura: Livro de Esdras (Esd 6,7-8.12b.14-20)

Naqueles dias, o rei Dario escreveu ao governador do território da outra margem do rio Eufrates: “Deixa que prossigam os trabalhos no templo de Deus. Que o governador de Judá e os anciãos dos judeus edifiquem a casa de Deus no seu lugar.

Também ordenei como se deve proceder com aqueles anciãos dos judeus que constroem aquela casa de Deus: com os bens do rei, deveis reembolsar religiosamente e sem interrupção aqueles homens por tudo o que gastarem. Eu, Dario, dei esta ordem. Que ela seja pontualmente executada!”

E os anciãos dos judeus continuaram a construir, com êxito, de acordo com a profecia de Ageu, o profeta, e de Zacarias, filho de Ado, e puderam terminar a construção conforme a ordem do Deus de Israel e as ordens de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis da Pérsia. Esta casa de Deus foi concluída no terceiro dia do mês de Adar, no sexto ano do reinado de Dario.

Os filhos de Israel, os sacerdotes, os levitas e o resto dos repatriados, celebraram com alegria a dedicação desta casa de Deus. Ofereceram, para a inauguração desta casa de Deus, cem touros, duzentos carneiros, quatrocentos cordeiros e, como sacrifício pelo pecado de todo o Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel.

Estabeleceram também os sacerdotes, segundo suas categorias, e os levitas, segundo suas classes, para o serviço de Deus, em Jerusalém, como está escrito no livro de Moisés.

Os deportados celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês. Como todos os levitas se haviam purificado, juntamente com os sacerdotes, estavam puros; e, assim, imolavam a Páscoa para todos os filhos do cativeiro, para os sacerdotes seus irmãos e para eles próprios.

Opinião – passagem bíblica da reconstrução do Templo de Deus em Jerusalém e o impacto na sociedade da época.

Salmo responsório (Sl 121)

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Que alegria, quando ouvi que me disseram: “Vamos à casa do Senhor!” E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas.

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Jerusalém, cidade bem edificada num conjunto harmonioso; para lá sobem as tribos de Israel, as tribos do Senhor.

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Para louvar, segundo a lei de Israel, o nome do Senhor. A sede da justiça lá está e o trono de Davi.

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

Opinião – salmo para nos lembrar de darmos graças por podermos voltar a Casa de Deus, lembrando que por muito tempo a simples menção de queremos ir até ele era considerada um crime. Que tenhamos fé e estejamos preparados para evitar que esses tempos voltem.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 8,19-21)

Naquele tempo,a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão. Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática”.

Opinião – Jesus veio para quebrar as regras de uma sociedade cabeça dura e com corações de pedra: aqui ele mostra que além dos laços familiares, há também os laços de fé, criando uma família composta por aqueles que seguem a Palavra de Deus.

O Padre Roger Araújo expande essa ideia da Família de Deus estar além dos laços de sangue ou criação na homilia de hoje.

Boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/25a-semana-tempo-comum-terca-feira/?sDia=26&sMes=09&sAno=2017

Liturgia Diária: 25ª Semana do Tempo Comum – Segunda-feira – 25/09/2017

Primeira Leitura: Livro de Esdras (Esd 1,1-6)

O renascimento da esperança – No primeiro ano de reinado de Ciro, rei da Pérsia, Javé, cumprindo o que tinha dito pelo profeta Jeremias, despertou a consciência de Ciro, rei da Pérsia, que proclamou por todo o império, a viva voz e por escrito, o seguinte: “Ciro, rei da Pérsia, decreta: Javé, o Deus do céu, entregou-me todos os reinos do mundo. Ele me encarregou de construir para ele um Templo em Jerusalém, na terra de Judá. Quem de vocês provém do povo dele? Que o seu Deus esteja com ele. Volte para Jerusalém, na terra de Judá, para reconstruir o Templo de Javé, o Deus de Israel. Ele é o Deus que reside em Jerusalém. Todos os sobreviventes, de todo lugar para onde tiverem imigrado, receberão da população local prata e ouro, bens e animais, além de ofertas espontâneas para o Templo de Deus, que está em Jerusalém.”

Então todos os que se sentiram movidos por Deus – chefes de família de Judá e Benjamin, sacerdotes e levitas – puseram-se a caminho para reconstruir o Templo de Javé em Jerusalém. Os vizinhos lhes deram de tudo: prata e ouro, bens, animais e joias, além de ofertas espontâneas.

Opinião – passagem histórica, sobre o retorno do povo dos judeus para sua terra natal após anos em outros lugares. Demonstra a organização da comunidade novamente.

Salmo Responsório (Sl 125)

– Maravilhas fez conosco o Senhor!

Maravilhas fez conosco o Senhor!

– Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, parecíamos sonhar; encheu-se de sorriso nossa boca, nossos lábios de canções.

Maravilhas fez conosco o Senhor!

– Entre os gentios se dizia: “Maravilhas fez com eles o Senhor!” Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria.

Maravilhas fez conosco o Senhor!

– Mudai a nossa sorte, ó Senhor, como torrentes no deserto. Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.

Maravilhas fez conosco o Senhor!

– Chorando de tristeza sairão, espalhando suas sementes; cantando de alegria voltarão, carregando os seus feixes!

Maravilhas fez conosco o Senhor!

Opinião – salmo de exaltação e agradecimento por todas as coisas boas que o Senhor Deus faz em nossas vidas, por vezes sofremos, passamos por dificuldades, mas estas nos tornam mais fortes, e se na ida sofremos, na volta colhemos os frutos do nosso desenvolvimento.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 8,16-18)

Ouvir e agir – “Ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama. Ele a coloca no candeeiro, a fim de que todos os que entram vejam a luz. De fato, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto; e tudo o que está em segredo deverá tornar-se conhecido e claramente manifesto. Portanto, prestem atenção como vocês ouvem: para quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; para aquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter.”

Opinião – que nossas ações e intenções sejam claras e diretas, que não fiquemos escondemos nossos pensamentos e escolhas. Sejamos sinceros e transparentes, sempre guiados pela Luz divina do Conhecimento de Deus.

A homilia de hoje, criada pelo Padre Roger Araújo, justamente trata da importância de que nossas ações sejam claras: iluminadas por Deus, que nossos corações se encham de luz e que a escuridão dos pensamentos e ações mundanas seja eliminada de nossas vidas.

Uma boa noite a todos

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/25a-semana-tempo-comum-segunda-feira/?sDia=25&sMes=09&sAno=2017

Liturgia diária: Natividade de Nossa Senhora – Sexta-feira – 08/09/2017

Primeira leitura: Livro do profeta Miquéias (Mq 5,1-4a)

O Messias virá de Belém – Mas vocês, Belém de Éfrata, tão pequena entre as principais cidades de Judá! É de você que sairá para mim aquele que há de ser o chefe de Israel! A origem dele é antiga, desde tempos remotos. Pois Deus os entrega só até que a mãe dê a luz, e o resto dos irmãos volte aos israelitas. De pé, ele governará com a própria força de Javé, com a majestade do nome de Javé, seu Deus. E habitarão tranquilos, pois ele estenderá o seu poder até as extremidades da terra. Ele próprio será a paz.

Opinião – passagem profética onde se torna publico que o Salvador, na figura de Jesus virá de Belém, a menor das cidades. E Ele irá governar com o apoio de Deus, mostrando que da origem mais humilde vem as maiores conquistas.

Salmo Responsório (Sl 70)

– Exulto de alegria no Senhor

Exulto de alegria no Senhor

– Sois meu apoio deste antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo: para vós o meu louvor eternamente!

Exulto de alegria no Senhor

– Uma vez que confiei no vosso amor, meu coração, por vosso auxílio, rejubile, e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!

Exulto de alegria no Senhor

Opinião – Deus esta conosco desde o momento em que nascemos, e assim que entregamos nosso coração a ele, aceitando a Palavra de Deus, o Conhecimento e Sabedoria que vem com ela, nosso coração se torna mais feliz, mais realizado, e que comemoremos isso sempre.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 1,18-23)

O começo de uma nova história – A origem de Jesus, o Messias, foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo. Não queria denunciar Maria, e pensava em deixá-la, sem ninguém saber. Enquanto José pensava nisso, o Anjo do Senhor lhe apareceu em sonho, e disse: “José, filho de Davi, não tenha medo de receber Maria como esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você lhe dará o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados.”

Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Vejam: a virgem conceberá e dará luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emmanuel, que quer dizer: Deus está conosco.

Opinião – Jesus desde a sua concepção já veio para quebrar as regras rígidas da sociedade da época: Por ainda não estar casada, Maria não deveria ter relações e José não deveria receber ela como esposa ela já estando gravida, seria errado aos olhos da sociedade, mas o Anjo do Senhor coloca Conhecimento e Sabedoria diante de José e informa que esse filho será nomeado Jesus por José e assim a trajetória de Jesus mostrar que convenções sociais podem ser importantes mas que devemos lutar contra aquelas que oprimem os povos começa.

O Padre Roger Araújo na homilia de hoje continua com a comemoração da Natividade de Maria, lembrando que Maria é adorada não por ser uma deusa, com poderes, mas sim por sua humildade, pela confiança em Deus e no seu plano. Acrescendo que Maria e José foram exemplos para Jesus, sempre iluminados pelo Espírito Santo, criando e protegendo Jesus de uma maneira que ele também pude-se crescer e concretizar os planos de Deus, de ser o nosso Messias. Que também sejamos um exemplo como Maria e José foram.

Um bom dia a todos.

Fontes

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/natividade-de-nossa-senhora-sexta-feira/?sDia=8&sMes=09&sAno=2017