Liturgia diária: 27º Domingo do Tempo Comum – 08/10/2017

Primeira Leitura: Livro do Profeta Isaías (5,1-7)

Julguem vocês mesmos – Cantarei em nome do meu amigo um canto de amor para a sua vinha. O meu amigo possuía uma vinha em fértil colina. Capinou a terra, tirou as pedras e plantou nela videiras de uvas vermelhas. No meio, construiu uma guarita e fez um tanque de pisar uvas. Esperava que produzisse uvas boas, mas ela produziu uvas azedas. E agora, moradores de Jerusalém e homens de Judá, eu lhes peço: julguem entre mim e a minha vinha. O que mais eu deveria ter feito pela minha vinha, que não fiz? Por que esperei que desse uvas boas, e ela me deu uvas azedas? Pois agora, vou dizer-lhes o que farei com minha vinha: vou arrancar a sua cerca para que sirva de pasta; derrubarei o seu muro para que seja pisada. Vou fazer dela um matagal: ficará sem poder e sem capinar, só mato e espinhos crescerão nela; e às próprias nuvens eu mandarei que não chovam sobre ela. A vinha de Javé dos exércitos é a casa de Israel, e sua plantação preferida são os homens de Judá. Eu esperava deles o direito, e produziram injustiça; esperava justiça, e aí estão gritos de desespero!

Opinião – nesta passagem é mostrado como as vezes o esforço não é recompensado, até mesmo quando Deus fez de tudo pelo povo, o resultado ainda não foi o esperado por Ele, foi entregue o melhor ao povo, e o povo devolveu só o oposto. Diante disso nós faríamos o mesmo, destruir o projeto anterior e começar um novo, porém não foi o que ocorreu após o diluvio, Deus jurou não destruir seu projeto, que somos nós, e por isso enviou Jesus, seu filho, e mesmo este foi ignorar por muitos. Não sejamos iguais esses muitos, nos lembremos do exemplo de Jesus e utilizemos ainda do melhor que Deus nos deu, nossas vidas, e saibamos usa-las ao máximo de nosso potencial, não percamos tempos atrapalhando ou prejudicando o próximo, que cada minuto de nossa existência seja utilizado para nossa melhoria, nosso progresso, assim também progredindo em conjunto a nossa sociedade.

Salmo Responsório (Sl 79)

— A vinha do Senhor é a casa de Israel.

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Arrancastes do Egito esta videira, e expulsastes as nações para plantá-la; até o mar se estenderam seus sarmentos, até o rio os seus rebentos se espalharam.

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Por que razão vós destruístes sua cerca, para que todos os passantes a vindimem, o javali da mata virgem a devaste, e os animais do descampado nela pastem?

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

— E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! Convertei-nos, ó Senhor Deus do universo, e sobre nós iluminai a vossa face! Se voltardes para nós, seremos salvos!

A vinha do Senhor é a casa de Israel.

Opinião – Salmo que pede pela proteção de Deus novamente, ainda seguindo a linha da passagem da vinha da primeira leitura. Por vezes nossas ações atraem reações negativas, seguindo a lei do universo de que toda ação há uma reação, então devemos aprender não somente a pedir proteção a Deus, mas a merece-la, não ficarmos acumulando erros, pecados, realizações de desejos mundanos e depois corrermos para a proteção do Pai quando as coisas não estiverem da maneira que achamos justo, sejamos primeiro justos, corretos, direitos, para então sermos dignos da proteção e justiça do pai.

Segunda Leitura: Carta de São Paulo aos Filipenses (Fi 4,6-9)

Não se inquietem com nada. Apresentem a Deus todas as necessidades de vocês através da oração e da súplica, em ação de graças. Então a paz de Deus, que ultrapassou toda compreensão, guardará em Jesus Cristo os corações e pensamentos de vocês.
Finalmente, irmãos, ocupem-se com tudo o que é verdadeiro, nobre, justo, puro, amável, honroso, virtuoso, ou que de algum modo mereça louvor. Pratiquem tudo o que vocês aprenderam e receberam como herança, o que ouviram e observaram em mim. Então o Deus da paz estará com vocês.

Opinião – passagem que reforça a minha interpretação sobre a primeira leitura de o salmo de hoje: sejamos dignos das maravilhas de Deus antes de ficarmos suplicando a tudo para Ele; pois agindo de maneira direita, correta, nos tornamos dignos das maravilhas de Deus e por nossas próprias ações iremos plantar e colher, produzir vidas corretas e boas para nós, sempre nos lembrando do exemplo de Jesus Cristo e seguindo a Luz que a Palavra e o Conhecimento nos trazem.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 21,33-43)

Jesus acusa as autoridades – “Escutem essa outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, cercou-a, fez um tanque para pisar a uva e construiu um torre de guarda. Depois arrendou a vinha para alguns agricultores e viajou para o estrangeiro. Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos agricultores para receber os frutos.
Os agricultores, porém, agarraram os empregados, bateram num, mataram outro, e apedrejaram o terceiro. O proprietário mandou de novo outros empregados, em maio número que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma. Finalmente, o proprietário enviou-lhes o seu próprio filho, pensando: ‘Eles vão respeitar meu filho’. Os agricultores, porém, ao verem o filho, pensaram: ‘Esse é o herdeiro. Venham, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança.’ Então agarraram o filho, o jogaram para fora da vinha e o mataram.
Pois bem: quando o dono da vinha voltar, o que irá fazer com esses agricultores?”
Os chefes dos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “É claro que mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros agricultores, que lhe entregarão o fruto no tempo certo.”
Então Jesus disse a eles: “Vocês nunca leram na Escritura: ‘A pedra que os construtores deixaram de lado tornou-se a padre mais importante; isso foi feito pelo Senhor e é admirável aos nossos olhos’? Por isso eu lhes afirmo: o Reino de Deus será tirado de vocês, e será entregue a uma nação que produzirá seus frutos.”

Opinião – nessa passagem Jesus continua na mesma linha das outros leituras de hoje, mas troca a questão das uva azedas pela questão da ganancia humana, fazendo uma clara comparação a Sua vinda e a dádiva de Deus que é a nossa vida, e que já naquela época era desperdiçada com comportamentos mundanos. Deus mandou profetas e mais profetas, enviou seu próprio filho, Jesus, e mesmo assim a sociedade matou, ignorou ou maltratou a todos. Cabe portanto a cada um de nós escolhermos o caminho de Deus, deixarmos a Palavra entrar em nossos corações e alinharmos nossos modos de viver, nossas vidas, não aos costumes e vontades do mundo, mas sim aquelas direitas que vem de Deus.

O Padre Roger Araújo comenta na homilia de hoje justamente sobre essa nossa frieza em recebermos e aceitarmos a verdade de Deus, mesmo tendo os modos necessários, as oportunidades, ainda escolhemos termos um coração duro, gelado para esse Conhecimento, e isso irá nos afastar cada vez mais do Reino, trazendo claramente a degradação da sociedade, conforme já podemos ver.

Um bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/27o-domingo-tempo-comum/?sDia=8&sMes=10&sAno=2017

Liturgia Diária: 25º Domingo do Tempo Comum – 24/09/2017

Primeira Leitura: Livro do Profeta Isaías (Is 55,6-9)

Procurem Javé – Procurem Javé enquanto ele se deixa encontrar, chamem por ele quanto está perto. Que o injusto deixe o seu caminho e o homem maldoso mude os seus projetos. Cada um volte para Javé ele terá compaixão, volte para o nosso Deus, pois ele perdoa com generosidade.

Os meus projetos não são os projetos de vocês, e os caminhos de vocês não são os meus caminhos – oráculo de Javé. Tanto quanto o céu esta acima da terra, assim os meus caminhos estão acima dos caminhos de vocês, e os meus projetos estão acima dos seus projetos.

Opinião – passagem que expressa que ao mudarmos, aceitarmos nossos pecados e de coração desejarmos seguir o Caminho da Sabedoria de Deus, seremos aceitos, e em seguida é afirmado que o projeto de Deus, os seus caminho, são superiores os caminhos e projetos mundanos que muitas vezes nossas mentes ficam desperdiçando tempo e recursos.

Salmo Responsório (Sl 144)

– O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

– Todos os dias haverei de bendizer-vos, hei de louvar o vosso nome para sempre. Grande é o Senhor e muito digno de louvores, e ninguém pode medir sua grandeza.

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

– Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, é compaixão. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura.

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

– É justo o Senhor em seus caminhos, é santo em toda obra que ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente.

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

Opinião – salmo que relembra a bondade de Deus, nosso Senhor, e que ele sempre estará próximo de nós quando o invocarmos, seja para pedir proteção, orientação ou agradecer por nossos frutos de nossos trabalhos.

Segunda Leitura: Carta de São Paulo aos Filipenses: (Fl1,20c-24.27a)

O que desejo e espero é não fracassar, mas, agora como sempre, manifestar com toda a coragem a glória de Cristo em meu corpo, tanto na vida, como na morte. Pois para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Mas se eu ainda continuar vivendo, poderei fazer algum trabalho útil. Por isso é que não sei bem o que escolher. Fico n indecisão: meu desejo é parti dessa vida e estar com Cristo, e isso é muito melhor. No entanto, por causa de vocês, é mais necessário que eu continue a viver. Uma só coisa importa: comportem-se como pessoas dignas do Evangelho de Cristo.

Opinião – vivendo em uma época de perseguições constantes, morrer já seria mais fácil para Paulo pois ai ele estaria ao lado de Jesus, o grande mestre e tudo estaria bem. Mas ele sabe que ele ainda tem que viver mais, a dádiva da vida ainda não acabou para ele, então ele decide fazer algo útil com seu tempo: espalhar o Conhecimento de Deus.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 20,1-16a)

O Reino é dom gratuito – “De fato, o Reino do Céu é como um patrão, que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia, e os mandou para a vinha. às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo. Viu outros que estavam desocupados na praça, e lhes disse: ‘Vão vocês também para a minha vinha. Eu lhes pagarei o que for justo.’ E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia e às três horas da tarde, e fez a mesma coisa. Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde, encontrou outros que estavam na praça, e lhes disse:’ Por que vocês estão aí o dia inteiro desocupados?’ Eles responderam: ‘Porque ninguém nos contratou.’ O patrão lhes disse: ‘Vão vocês também para a minha vinha’. Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: ‘Chame os trabalhadores e pague uma diária a todos. Comece pelos últimos, e termine pelos primeiros’. Chegaram aqueles que tinham sido contratados pelas cinco da tarde, e cada um recebeu uma moeda de prata. Em seguida chegaram os que foram contratados primeiro, e pensavam que iam receber mais. No entanto, cada um deles também recebeu uma moeda de prata. Ao receberam o pagamento, começaram a resmungar contra o patrão: ‘Esses últimos trabalharam uma hora só, e tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor do dia inteiro!’ E o padrão disse a um deles: ‘Amigo, eu não fui injusto com você. Não combinamos uma moeda de prata? Tome o que é seu e volte para casa. Eu quero dar também a esse, que foi contratado por último, o mesmo que dei a você. Por acaso não tenho o direito de fazer o que eu quero com aquilo que me pertence? Ou você está com ciúme porque estou sendo generoso?’ Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos.”

Opinião – passagem difícil de entender se nós basearmos no conceito atual e mundano de valor e merecimento. Não seria justo remunerar alguém por seu trabalho com o mesmo valor que outra pessoa que trabalhou na mesma função por muito menos tempo com o mesmo valor. Mas não é esse o caso aqui: aqui Jesus compara com essa historia o fato de que o Reino do Céu é um dom, um presente que Deus dá a aqueles que vivem a vida inteira sob suas regras e também para aqueles que enxergam e aceitam o Conhecimento da Palavra de Deus em seus últimos dias.

A homilia de hoje trabalha justamente nesse quesito de ser ‘justo’ ou injusto, e a inveja que vem junto disso quando começamos a querer julgar os atos e pessoas. Não devemos deixar nossas mentes e corações irem por esse caminho, devemos prosperar, ajudar o próximo e não ficarmos discutindo se eles são merecedores ou não dos frutos de seus trabalhos.

Um bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/25o-domingo-tempo-comum/?sDia=24&sMes=09&sAno=2017

Liturgia diária: 22ª Semana do Tempo Comum – Segunda-feira – 04/09/2017

Primeira leitura: Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses (1Ts 4,13-18)

Todos reunidos na vinda do Senhor – Irmãos, não queremos que vocês ignorem coisa alguma a respeito dos mortos, para não ficarem tristes como os outros que não têm esperança. Se acreditamos que Jesus morreu e ressuscitou, acreditamos também que aqueles que morreram em Jesus serão levados por Deus em sua companhia.

Eis o que declaramos a vocês, baseando-nos na palavra do Senhor: nós, que ainda estaremos vivos por ocasião da vinda do Senhor, não teremos nenhuma vantagem sobre aqueles que já tiverem morrido.

De fato, a uma ordem, à voz do arcanjo e ao som da trombeta divina, o próprio Senhor descerá do céu. Então os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, que estivermos ainda na terra, seremos arrebatados junto com eles para as nuvens, ao encontro do Senhor nos ares. E então estaremos para sempre com o Senhor. Consolem-se, pois, uns aos outros com essas palavras.

Opinião – Como os apóstolos ainda estavam pregando a palavra de Deus, alguns fieis achavam que quem já tinha morrido não encontraria o Senhor Jesus por não ter recebido 100% da Palavra de Deus que os apóstolos ainda estavam propagando. Diante disso Paulo procura acalmar a comunidade pregando que todos que aceitarem a Palavra de Deus de coração encontrarão com Jesus na outra vida, e por que não nesta também, pois viver uma vida direita, correta, conforme o Conhecimento da Palavra dita, já é uma forma de encontrar Jesus nesta vida ainda.

Salmo responsório (Sl 95)

– O Senhor vem julgar nossa terra.

O Senhor vem julgar nossa terra.

– Cantai ao Senhor Deus um canto novo, manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

O Senhor vem julgar nossa terra.

– Pois Deus é grande e muito digno de louvor, é mais terrível e maior que os outros deuses; porque um nada são os deuses dos pagãos. Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

O Senhor vem julgar nossa terra.

– O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; os campos com seus frutos rejubilem e exultem as florestas e as matas.

O Senhor vem julgar nossa terra.

– Na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo todo com justiça, e os povos julgará com lealdade.

O Senhor vem julgar nossa terra.

Opinião – o salmo mostra a diferença entre os deuses pagãos e o Deus nosso: enquanto os outros deuses eram unitários, cada um para uma coisa, o Deus nosso é único, pleno e poderoso, regendo o mundo inteiro com suas mãos, uma clara expressão da mudança da fé politeísta para uma fé monoteísta, um só Deus não precisa guerrear entre si, assim permitindo aos fieis viverem em paz uns com os outros, sem criação de rixas dentro da mesma religião, na teoria, pois até as Palavras foram deturpadas e hoje temos irmão apontando contra irmão e tentando utilizar Deus como ‘motivação’ para machucar, penalizar, agredir o próximo.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 4,16-30)

Jesus foi a cidade de Nazaré, onde se havia criado. Conforme seu costume, no sábado entrou na sinagoga e levantou-se para fazer a leitura. Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, Jesus encontrou a passagem onde está escrito: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação da vista; para libertar os oprimidos e para proclamar um ano de graça do Senhor”. Em seguida, Jesus fechou o livro, o entregou na mão do ajudante, e sentou-se. Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele. Então Jesus começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu essa passagem da Escritura, que vocês acabam de ouvir.”

Reação do povo – Todos aprovavam Jesus, admirados com as palavras cheias de encanto que saíam da sua boca. E diziam: “Este não é o filho de José?” Mas Jesus disse: “Sem dúvida vocês vão repetir para mim o provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo. Fazer também aqui, em tua terra, tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum.” E acrescentou: “Eu garanto a vocês: nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. De fato, eu lhes digo que havia muitas viúvas em Israel, no tempo do profeta Elias, quando não vinha chuva do céu durante três anos e seis meses, e houve grande fome em toda a região. No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, e sim a uma viúva estrangeira, que vivia em Sarepta, na Sidônia. Havia também muitos leprosos em Israel no tempo do profeta Eliseu. Apesar disso nenhum deles foi curado, a não ser o estrangeiro Naamã, que era sírio.” Quando ouviram essas palavras de Jesus, todos na sinagoga ficaram furiosos. Levantaram-se e expulsaram Jesus da cidade. E o levaram até o alto do monte, sobre o qual a cidade estava construída, com intenção de lançá-lo no precipício. Mas Jesus, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho.

Opinião – por mais “paz e amor” que seja a imagem de Jesus, ele veio para quebrar as correntes da época, que prendiam as pessoas a costumes antiquados e estruturas que não permitiam o desenvolvimento das pessoas ao seu máximo potencial. Para quebrar essas tradições ele precisava falar algumas verdades, e mostrar a hipocrisia do povo: enquanto ele fala sobre bençãos e melhorias para eles, o povo o adora, mas basta Jesus mencionar como antes dele todos os que trouxeram a Palavra de Deus não eram valorizados, mostrando que o povo sempre acha que os seus são piores que os de fora, numa clássica síndrome de cão vira-lata, o povo se revolta contra Jesus, já querendo matar ele. Mas o mesmo não se abala, entrega seus ensinamentos e segue sua vida, mostrando que ele veio cumprir sua missão e assim o fará, independente da opinião dos outros.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo destaca esse lado do ser humano e como é importante que nós não só admiremos Jesus, mas que aceitemos de coração seus ensinamentos e o mais importante que incorporemos o Conhecimento que ele trouxe para nossas vidas, não fiquemos só admirando ele e agindo conforme nossos desejos carnais; temos que admirar e procurar transformar nossas vidas em algo que siga os passos da Palavra de Deus.

Uma boa noite a todos.

Fontes

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/22a-semana-tempo-comum-segunda-feira/?sDia=4&sMes=09&sAno=2017