Liturgia diária: 34º Domingo do Tempo Comum – Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo – 26/11/2017

Primeira leitura: Profecia de Ezequiel (Ez 34,11-12.15-17)

O governo de Javé –Assim diz o Senhor Javé: Eu mesmo vou procurar as minhas ovelhas. Como o pastor conta o seu rebanho, quando está no meio de suas ovelhas que se haviam dispersado, eu também contarei as minhas ovelhas, e as reunirei de todos os lugares por onde se haviam dispersado, nos dias nebulosos e escuros. Eu mesmo conduzirei as minhas ovelhas para o pasto e as farei repousar – oráculo do Senhor Javé. Procurarei aquela que se perder, trarei de volta aquela que se desgarrar, curarei a que se machucar, fortalecerei a que estiver fraca. Quanto à ovelha gorda e forte, eu a destruirei, pois cuidarei do meu rebanho conforme o direito”. Quanto a você, rebanho meu, assim diz o Senhor Javé: Vou julgar entre ovelha e ovelha, entre carneiros e bodes.”

Opinião – Deus procurará ativamente cada um de seus fieis, cabendo a estes aceitarem a Palavra de Deus em seus corações. Aqueles que estiverem machucados serão curados, aqueles que estiverem perdidos serão achados. Mas aqueles que estiverem florescendo em cima dos outros, tirando dos irmãos para terem a si mesmos, esses serão punidos.

Salmo responsório (Sl 22)

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Pelas águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo, e com óleo vós ungis minha cabeça; o meu cálice transborda.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Felicidade e todo bem hão de seguir-me por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

Opinião – Aceitando o conhecimento de Deus em nossos corações e seguindo o seu caminho, tudo de bom há de termos em nossas vidas.

Segunda leitura: Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (1Cor 15,20-26.28)

Deus será tudo em todos – Mas não! Cristo ressuscitou dos mortos como primeiro fruto dos que morreram. De fato, já que a morte veio através de um homem, também por um homem vem a ressurreição dos mortos.Como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos receberão a vida.Cada um, porém, na sua própria ordem: Cristo como primeiro fruto; depois, aqueles que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. A seguir, chegará o fim, quando Cristo entregar o Reino a Deus Pai, depois de ter destruído todo principado, toda autoridade, todo poder. Pois é preciso que ele reine, até que tenha posto todos os seus inimigos debaixo dos seus pés. O último inimigo a ser destruído será a morte.E quando todas as coisas lhe tiverem sido submetidas, então o próprio Filho se submeterá àquele que tudo lhe submeteu, para que Deus seja tudo em todos.

Opinião – Jesus venceu a morte por nós, para nos mostrar que há vida sim quando deixamos para traz nossos corpos mundanos. Havendo ou não um pós vida, que aceitemos que podemos continuar a viver hoje deixando nossos mundos carnais para traz, nos dedicando a vivermos como Jesus, seguindo seu exemplo no Conhecimento do Pai.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 25, 31-46)

O juízo finalQuando o Filho do Homem vier na sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita, e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Venham vocês, que são abençoados por meu Pai. Recebam como herança o Reino que meu Pai lhes preparou desde a criação do mundo. Pois eu estava com fome, e vocês me deram de comer; eu estava com sede, e me deram de beber; eu era estrangeiro, e me receberam em sua casa; eu estava sem roupa, e me vestiram; eu estava doente, e cuidaram de mim; eu estava na prisão, e vocês foram me visitar’. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’ Então o Rei lhes responderá: ‘Eu garanto a vocês: todas as vezes que vocês fizeram isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizeram.’

Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastem-se de mim, malditos. Vão para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Porque eu estava com fome, e vocês não me deram de comer; eu estava com sede, e não me deram de beber; eu era estrangeiro, e vocês não me receberam em casa; eu estava sem roupa, e não me vestiram; eu estava doente e na prisão, e vocês não me foram visitar’. Também estes responderão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou sem roupa, doente ou preso, e não te servimos?’ Então o Rei responderá a esses: ‘Eu garanto a vocês: todas as vezes que vocês não fizeram isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizeram’. 46 Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna.”

Opinião – não devemos fazer o bem somente para Deus, devemos fazer o bem sempre, a todo momento que tivermos oportunidade. Deve ser nossa ação natural ajudar o próximo, não uma atitude sempre pensada ou que vá trazer dádivas a nos no futuro.

Um  bom domingo a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/34o-domingo-tempo-comum-solenidade-de-jesus-cristo-rei-universo/?sDia=26&sMes=11&sAno=2017

Liturgia diária: 23º Domingo do Tempo Comum – 10/09/2017

Primeira Leitura: Profecia de Ezequiel (Ez 33,7-9)

Criatura humana, eu o coloquei como vigia da casa de Israel. quando você ouvir minha mensagem, você precisa avisá-los. Se para o injusto eu digo: ‘Injusto, é certo que você vai morrer’, se você não avisa o injusto para que mude de comportamento, o injusto morrerá por causa de sua própria culpa, mas é a você que eu pedirei contas do sangue dele. Ao contrário, se você prevenir o injusto para que ele mude de comportamento, e ele não mudar, ele morrerá por causa de sua própria culpa, as você terá salva a sua própria vida.”

Opinião – mensagem direta e reta: se sabemos o certo e o errado e temos a possibilidade de ajudar alguém a deixar de fazer o errado, temos a obrigação de fazer isso, pois a omissão da ajuda é um erro tão grande quando cometer os erros em si.

Salmo Responsório (Sl 94)

– Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

– Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos o Rochedo que nos salva! Ao seu encontro caminhemos com louvores, e com cantos de alegria o celebremos!

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

– Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

– Oxalá ouvi-se hoje a sua voz: “Não fecheis os corações como em Meriba, como em Massa, no deserto, aquele dia, em que outrora vossos pais me provocaram, apesar de terem visto as minhas obras”.

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

Opinião – salmo de agradecimento e de orientação, não devemos ignorar quando Deus fala com nossos corações, pois mesmo os antigos povos terem visto os milagres e ainda terem fechado seus corações para Deus, ele continua querendo nos guiar, nos ajudar, nos iluminar.

Segunda leitura: Carta de São Paulo aos Romanos (Rm 13,8-10)

O amor é o pleno cumprimento da Lei – Não fiquem devendo nada a ninguém, a não ser o amo mútuo. Pois quem ama o próximo cumpriu plenamente a Lei. De fato, os mandamentos: não cometa adultério, não mate, não roube, não cobice, e todos os outros se resume nesta sentença: “Ame o seu próximo como a si mesmo.”  amor não pratica o mal contra o próximo, pois o amor é o pleno cumprimento da Lei.

Opinião – essa passagem exemplifica como Jesus veio para facilitar o entendimento, evitando de que o conhecimento fica-se nas mãos de alguns poucos, que orientavam mal o povo: Jesus resumiu o comportamento humano correto em um mandamento, aquele de amarmos o nosso próximo como a nós mesmos, basicamente  pedindo para sempre nos colocarmos na outra ponta de nossas ações, e procurando agir da maneira como gostaríamos que agissem conosco.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 18,15-20)

E quando o irmão peca? – “Se o seu irmão pecar, vá e mostre o erro dele, mas em particular, só entre vocês dois. Se ele der ouvidos, você terá ganho seu irmão.Se ele não lhe der ouvido, tome com você mais ou ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. Caso ele não dê ouvidos, comunique à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele der ouvidos, seja tratado como se fosse um pagão ou um cobrados de impostos. Eu lhes garanto: tudo o que vocês ligarem na terra, será ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra, será desligado no céu. E lhes digo ainda mais: se dois de vocês na terra estiverem de acordo sobre qualquer coisa que queiram pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está no céu. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí no meio deles.”

Opinião – passagem que me lembra aquela sabedoria popular que devemos ‘corrigir no particular e elogiar no publico’ quando lidamos com outras pessoas e seus erros, entendo a passagem que devemos tentar corrigir o irmão que age errado de maneira particular, depois no ciclo de pessoas mais próximos e por fim como comunidade, e se mesmo assim o irmão quiser continuar cometendo erros, que ele passe a arcar com as consequências, pois nem sempre vamos poder corrigir os outros, mas quando estivermos juntos em dois ou mais, e todos estiverem pensando com clareza, naturalidade e pelo bem de cada um presente e da sociedade composto por estes, que nossas decisões sejam guiadas por Deus e direcionadas para um bem maior dos indivíduos e da sociedade.

Continuando no quesito de ajudar e corrigir o próximo, interessante na homilia de hoje como o Padre Roger Araújo lembra que para corrigir o próximo, devemos primeiro corrigir a nós mesmos, tendo humildade para admitirmos que também erramos.

Um bom domingo a todos.

Fontes

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/23o-domingo-tempo-comum/?sDia=10&sMes=09&sAno=2017