Liturgia diária: 26ª Semana do Tempo Comum – Quarta-feira – 04/10/2017

Primeira Leitura: Livro de Neemias (2,1-8)

No mês de Nisã do vigésimo ano do reinado de Artaxerxes, como era eu o responsável pela bebida, peguei o vinho e fui servir ao rei. Eu nunca me apresentara triste na presença dele. Então o rei me perguntou: “Por que você está com o rosto abatido? Você não está doente, mas tem o coração angustiado”. Eu me assustei, mas respondi ao rei: “Viva o rei para sempre! Como não iria ficar triste, quando a cidade onde estão enterrados os meus antepassados está em ruínas e suas portas devoradas pelo fogo?” O rei então me disse: “O que você gostaria de fazer?” Rezei ao Deus do céu, e respondi: “Se Vossa Majestade concorda e está satisfeito com o seu servo, deixe-me ir para Judá, a fim de reconstruir a cidade onde estão enterrados os meus antepassados”. O rei e a rainha, que estava sentada ao lado dele, me perguntaram: “Quanto tempo vai durar a sua viagem? Quando voltará?” Marquei uma data. O rei concordou e me deixou ir. Então acrescentei: “Se Vossa Majestade estiver de acordo, dê-me cartas de recomendação para os governadores da região ocidental do rio Eufrates, a fim de que me facilitem a viagem até Judá. Dê-me também uma carta para Asaf, guarda do parque florestal do rei, a fim de que ele me forneça a madeira necessária para reformar as portas da fortaleza do Templo, as portas da muralha e também a casa onde vou morar”. O rei me deu as cartas, porque a mão bondosa do meu Deus estava do meu lado.

Opinião – passagem histórica, onde é descrito o processo de pela honestidade de Neemias com seu Rei o mesmo é liberado a ir reconstruir sua terra e ainda recebe privilégios do Rei para realizar seu desejo. Isso ocorre pois Neemias tem fé em Deus de que reconstruir sua terra é o que ele deve fazer naquele momento, e por isso o Rei o liberta de seu compromisso pelo tempo necessário para atingir o objetivo e ainda garante a ele certos privilégios que somente um rei da época poderia, tudo pois o rei também esta sendo iluminado por Deus.

Salmo Responsório (Sl 136)

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando, com saudades de Sião. Nos salgueiros por ali penduramos nossas harpas.

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Pois foi lá que os opressores nos pediram nossos cânticos; nossos guardas exigiam alegria na tristeza: “Cantai hoje para nós algum canto de Sião!”

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Como havemos de cantar os cantares do Senhor numa terra estrangeira? Se de ti, Jerusalém, algum dia eu me esquecer, que resseque a minha mão!

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Que se cole a minha língua e se prenda ao céu da boca, se de ti não me lembrar! Se não for Jerusalém minha grande alegria!

Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

Opinião – salmo com o tipo de expressão da época, onde o castigo era extremo para qualquer transgressão, por isso a repetição de que a língua deve colar ao céu da boca caso eu me esqueça de Jerusalém, isso representa um castigo penoso por nos esquecermos de Jerusalém, a cidade dos filhos de Deus, nossa origem, nossa raiz. Não devemos esquecer da nossa origem de fé, não necessariamente um pedaço de terra em algum local, mas sim a ideologia que ela representa.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 9,57-62)

Os primeiros passos do discípulo – Enquanto iam andando, alguém no caminho disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores.” Mas Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça.” Jesus disse a outro: “Siga-me.” Esse respondeu: “Deixa primeiro que eu vá sepultar meu pai.” Jesus respondeu: “Deixe que os mortos sepultem seus próprios mortos; mas você, vá anunciar o Reino de Deus.” Outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa primeiro que eu vá me despedir do pessoal de minha casa.” Mas Jesus lhe respondeu: Quem põe a mão no arado e olha para trás, não serve para o Reino de Deus.”

Opinião – nessa passagem é mostrado que devemos realmente deixar nosso meio de vida mundano para trás quando decidimos seguir o Caminho que a Luz da Palavra nos mostra, tradições devem ser quebradas, modos devem ser alterados, tudo para termos uma vida plena, completa, utilizando totalmente a dádiva de Deus que é nossa vida.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo expande essa ideia de deixarmos a vida atual para traz, de onde destaco essa passagem: “Veja, quem põe a mão no arado para trabalhar, põe o afinco, a alma, o coração, todo o seu ser para realizar aquilo. Não vive de um futuro que não chegou nem de um passado que já passou.” Se decidirmos aceitar de coração a Palavra de Deus, que seja com todo nosso empenho, com toda nossa vontade, não façamos nada dessa vida com menos do que nosso esforço total.

Uma boa noite a todos

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/26a-semana-tempo-comum-quarta-feira/?sDia=4&sMes=10&sAno=2017

Liturgia diária: 25ª Semana do Tempo Comum – Terça-feira – 26/09/2017

Primeira Leitura: Livro de Esdras (Esd 6,7-8.12b.14-20)

Naqueles dias, o rei Dario escreveu ao governador do território da outra margem do rio Eufrates: “Deixa que prossigam os trabalhos no templo de Deus. Que o governador de Judá e os anciãos dos judeus edifiquem a casa de Deus no seu lugar.

Também ordenei como se deve proceder com aqueles anciãos dos judeus que constroem aquela casa de Deus: com os bens do rei, deveis reembolsar religiosamente e sem interrupção aqueles homens por tudo o que gastarem. Eu, Dario, dei esta ordem. Que ela seja pontualmente executada!”

E os anciãos dos judeus continuaram a construir, com êxito, de acordo com a profecia de Ageu, o profeta, e de Zacarias, filho de Ado, e puderam terminar a construção conforme a ordem do Deus de Israel e as ordens de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis da Pérsia. Esta casa de Deus foi concluída no terceiro dia do mês de Adar, no sexto ano do reinado de Dario.

Os filhos de Israel, os sacerdotes, os levitas e o resto dos repatriados, celebraram com alegria a dedicação desta casa de Deus. Ofereceram, para a inauguração desta casa de Deus, cem touros, duzentos carneiros, quatrocentos cordeiros e, como sacrifício pelo pecado de todo o Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel.

Estabeleceram também os sacerdotes, segundo suas categorias, e os levitas, segundo suas classes, para o serviço de Deus, em Jerusalém, como está escrito no livro de Moisés.

Os deportados celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês. Como todos os levitas se haviam purificado, juntamente com os sacerdotes, estavam puros; e, assim, imolavam a Páscoa para todos os filhos do cativeiro, para os sacerdotes seus irmãos e para eles próprios.

Opinião – passagem bíblica da reconstrução do Templo de Deus em Jerusalém e o impacto na sociedade da época.

Salmo responsório (Sl 121)

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Que alegria, quando ouvi que me disseram: “Vamos à casa do Senhor!” E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas.

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Jerusalém, cidade bem edificada num conjunto harmonioso; para lá sobem as tribos de Israel, as tribos do Senhor.

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Para louvar, segundo a lei de Israel, o nome do Senhor. A sede da justiça lá está e o trono de Davi.

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

Opinião – salmo para nos lembrar de darmos graças por podermos voltar a Casa de Deus, lembrando que por muito tempo a simples menção de queremos ir até ele era considerada um crime. Que tenhamos fé e estejamos preparados para evitar que esses tempos voltem.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 8,19-21)

Naquele tempo,a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão. Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática”.

Opinião – Jesus veio para quebrar as regras de uma sociedade cabeça dura e com corações de pedra: aqui ele mostra que além dos laços familiares, há também os laços de fé, criando uma família composta por aqueles que seguem a Palavra de Deus.

O Padre Roger Araújo expande essa ideia da Família de Deus estar além dos laços de sangue ou criação na homilia de hoje.

Boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/25a-semana-tempo-comum-terca-feira/?sDia=26&sMes=09&sAno=2017