Liturgia diária: 22º Domingo do Tempo Comum – 03/09/2017

Primeira Leitura: Leitura do Livro do Profeta Jeremias (Jr 20,7-9)

Javé seduz o profeta – Tu me seduziste, Javé, e eu me deixei seduzir. Foste mais forte do que eu e venceste. Sirvo de piada o dia todo e todo mundo caçoa de mim. Quando falo, é aos gritos, clamando: “Violência! Opressão!” A palavra de Javé ficou sendo para mim motivo de vergonha e gozação o dia todo. Eu me dizia: “Não pensarei mais nele, não falarei mais no seu nome!”. Era como se houvesse no meu coração um fogo ardente, fechando em meus ossos. “Estou cansado de suportar, não aguento mais!”

Opinião – passagem que mostra como Deus conquista nossos corações, mas como o mundo luta contra isso. Para cada pessoa que a Palavra de Deus conquista, retira do caminho tortuoso e põe no caminho correto através da luz do Conhecimento, o mundo luta contra, pois para os poderes que controlam a população a Palavra de Deus é uma ameaça, Jesus mesmo disse por diversas vezes que veio para quebrar essas correntes, lutar por uma sociedade mais justa, que permita ao indivíduo crescer, e assim a sociedade cresça junto com ele, não só alguns crescendo em cima da cabeça dos outros: o fruto do trabalho de cada um deve ser seu em primeiro lugar, e depois da sociedade, não sendo correto somente alguns poucos mandarem em tudo, e nem outros poucos tomarem dos outros por motivos como raça, cor, ideologia e etc. Porém seguir o Caminho de Deus não é fácil, aqueles que o mundo ainda controla irão caçoar, ameaçar e ferir todos que tiverem o coração convertido a Deus.

Salmo Responsório (Sl 62)

– A minh´alma tem sede de vós como a terra sedenta, ó meu Deus!

A minh´alma tem sede de vós como a terra sedenta, ó meu Deus!

– Sois vós, ó senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh´alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água!

A minh´alma tem sede de vós como a terra sedenta, ó meu Deus!

– Venho, assim, contemplai-vos no templo, para ver a vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.

A minh´alma tem sede de vós como a terra sedenta, ó meu Deus!

– Quero, pois,  vos louvar pela vida, e elevar para vós minhas mãos! A minh´alma será saciada, como em grande banquete de festa; cantará a alegria em meus lábios; ao cantar para vós o meu louvor!

A minh´alma tem sede de vós como a terra sedenta, ó meu Deus!

– Para mim fostes sempre um socorro; de vossas asas à sobre eu exulto! Minha alma se agarra em vós; com poder vossa mão me sustenta.

A minh´alma tem sede de vós como a terra sedenta, ó meu Deus!

Opinião –  a terra seca, sedenta, assim que recebe água suga a mesma com muita vontade, pois sabe que a água é essencial para a vida, assim também trabalha nossa alma quando percebe que recebe o Conhecimento da Palavra de Deus. Nosso intimo, aquele vazio que sentimos internamente é preenchido por Deus quando aceitamos Ele em nossos corações, em nosso interior.

Segunda leitura: Leitura da Carta de São Paulo aos romanos (Rm 12,1-2)

O culto autêntico – Irmãos, pela misericórdia de Deus, peço que vocês ofereçam os próprios corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Esse é o culto autêntico de vocês. Não se amoldem às estruturas deste mundo, mas transformem-se pela renovação da mente, a fim de distinguir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável a ele, o que é perfeito.

Opinião – Paulo nessa carta já instrui os romanos como cultuar a Deus corretamente, procurando retirar deles os costumes antigos, nada de ofertar animais ou outros sacrifícios de sangue, evitar os costumes errados e já enraizados do mundo em sua cultura. No lugar de ambos devemos ofertar nós mesmos a Deus, entregando nossa vida não por um sacrifício de sangue, mas de fé e trabalho, nos desenvolvendo e progredindo como pessoas e como sociedade.

Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus (Mt 16,21-27)

E Jesus começou a mostrar aos seus discípulos que devia ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciões, dos chefes dos sacerdotes e dos doutores da Lei, e que devia ser motor e ressuscitar ao terceiro dia. Então Pedro levou Jesus para um lado e o repreendeu, dizendo: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isso nunca te aconteça!” Jesus, porém, voltou-se para Pedro e disse: “Fique longe de mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim, porque não pensa as coisas de Deus, mas as coisas dos homens!”

O seguimento de Jesus – Então Jesus disse aos discípulos: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. Pois, quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas quem perde a sua vida por causa de mim, vai encontra-la. Com efeito, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua vida? O que um home pode dar em troca da sua vida? Porque o Filho do Homem virá na gloria do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com a própria conduta.

Opinião – Jesus era carinhoso mas duro e rígido quando necessário, Pedro queria o melhor para o seu Mestre, não queria sofrer com a perda deste, e Jesus o repreende pois esse é um desejo dos vivos: a Morte de Cristo, a sua transformação era parte do plano de Deus para firmar e servir de exemplo para tantos, assim garantindo mais salvações por muitos anos. Uma escolha de Dor que Jesus fez, mas ele sabia que somente ele poderia seguir por esse caminho e assim o fez. Muito mais vidas foram salvas, mudadas, melhoradas através do Conhecimento da Palavra de Deus que se espalhou com o exemplo de Jesus, tudo isso devido ao sacrifício próprio que ele fez. Devemos também sacrificar nossas vidas mundanas, correndo atrás de realizações estéreis, sem real significado além de nos dar um pouco de prazer, e abraçarmos uma vida que traga melhorias e conquistas verdadeiras, duradouras e corretas, não só para nós, mas para nossos próximos também, assim garantindo que a sociedade inteira se desenvolva.

Na homilia deste domingo o Padre Roger Araújo expande a linha de pensamento da passagem do Evangelho acima, lembrando que: “Renunciar a si mesmo quer dizer: ´Eu não sou o centro do mundo. Eu não sou sempre o dono da razão nem preciso ser´.” Por não sermos o centro do mundo, devemos controlar nossas vidas, mas também evoluirmos, aprendemos com as dificuldades que vamos passar e progredirmos SEMPRE, Deus nos deu a dádiva da vida para que desenvolvermos e atingirmos nosso potencial completo, e isso inclui saber passar pelas dificuldades que a vida nos traz.

Um bom domingo a todos.

Fontes

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/22o-domingo-tempo-comum/?sDia=3&sMes=09&sAno=2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.