Liturgia Diaria 29/08/2017

21ª Semana do Tempo Comum – Terça-feira 29/08/2017

Primeira Leitura: Leitura do Livro do Profeta Jeremias (Jr 1,17-19)

Quanto a você, arregace as mangas, levante-se e diga a eles tudo o que eu mandar. Não tenha medo; senão eu é que farei você ter medo deles. Eu hoje faço de você uma cidade fortificada, uma coluna de ferro e uma muralha de bronze contra o país inteiro: contra os reis de Judá e seus chefes, contra os sacerdotes e contra os proprietários de terras. Eles farão guerra contra você, mas não o vencerão, pois eu estou com você para protegê-lo – Oráculo de Javé.

Opinião – Passagem onde é informado o seguinte: o Conhecimento da Palavra de Deus da poder, orienta e fortifica para grandes conquistas, porém deve ser aceito de coração e sem medo, sem hesitar, pois do contrario se perderá mais do que se ganhará. Aquele que sabe o que fazer, como fazer, mas ainda sim não age pois duvida de si, acaba sofrendo mais do que aquele que não age por não saber o que fazer.

Salmo Responsório (Sl 70)

– Minha boca anunciará vossa justiça!

Minha boca anunciará vossa justiça!

– Eu procuro meu refugio em vós, Senhor: que eu não seja envergonhado para sempre! Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! Escutai minha voz, vinde salvar-me!

Minha boca anunciará vossa justiça!

– Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Porque sois a minha força e o meu amparo, o meu refúgio, proteção e segurança! Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio.

Minha boca anunciará vossa justiça!

– Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, em vós confio desde a minha juventude! Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo.

Minha boca anunciará vossa justiça!

– Minha boca anunciará todos os dias vossa justiça e vossas graças incontáveis. Vós me ensinastes desde a minha juventude, e até hoje canto as vossas maravilhas.

Minha boca anunciará vossa justiça!

Opinião: pede-se proteção e oferece-se as propagação das maravilhas de Deus. Porém acredito que não seja sempre uma questão de ação ativa, de realização de milagres de Deus em nossa vida, mas sim, uma base moral, uma escolha por uma maneira de vida mais direta, mais justa, sem mentiras, sem segundas intenções. Esse estilo de vida, essas escolhas pelo natural, pelo claro, pelo direto, pelo justo, é que são a proteção verdadeira de Deus em nossas vidas. Não seguirmos pelos caminhos errados, por aquilo que sabemos que não é correto mas que ansiamos por motivos mundanos, essa vontade, essa ‘liderança’ pelo caminho correto, essa é a verdadeira proteção do Conhecimento da Palavra de Deus.

Segunda Leitura: Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos (Mc 6,17-29)

De fato, Herodes tinha mandado prender João, amarrá-lo e colocá-lo na prisão. Fez isso por causa de Herodíades, com quem tinha casado, apesar de ser ela a mulher do seu irmão Filipe. João dizia a Herodes: “Não é permitido você se casar com a mulher do seu irmão.” Por isso, Herodíades ficou com raiva de João e queria matá-lo, mas não podia. Com efeito, Herodes tinha medo de João, pois sabia que ele era justo e santo, e por isso o protegia. Gostava de ouvi-lo, embora ficasse embaraçado quando o escutava.

Finalmente chegou o dia oportuno. Era o aniversário de Herodes. E ele fez um banquete para os grandes da corte, os oficiais e os cidadãos importantes da Galiléia. A filha de Herodíades entrou e dançou,  agradando a Herodes e suas convidados. Então o rei disse à moça; “Peça o que quiser e eu darei a você, ” E jurou: “Juro que darei qualquer coisa que você me pedir, mesmo que seja a metade do meu reino.” A moça saiu e perguntou à mãe: “O que vou pedir?” A mãe respondeu: “A cabeça de João Batista.” A Moça correu para a sala e pediu ao rei: “Quero que me dê agora, num prato, a cabeça de João Batista.” O rei ficou muito triste. Mas não pôde recusar, pois tinha feito o juramento na frente dos convidados. Imediatamente o rei mandou que um soldado fosse buscar a cabeça de João. O soldado saiu, foi à prisão e cortou a cabeça de João. Depois levou a cabeça num prato, deu à moça, e esta a entregou à sua mãe. Ao saber disso, os discípulos de João foram, levaram o cadáver e o sepultaram.

Opinião: passagem que mostra o perigo de ouvirmos aos nossos desejos carnais e mundanos: o rei Herodes por duas vezes é traído pelos seus desejos: primeiro ao desejar e se casas com a mulher do próprio irmão; depois por orgulho e manter os costumes acaba por matar João Batista contra sua vontade devido a uma promessa feita no calor da empolgação. O desejo e o orgulho não devem ser nossos guias, podem ser forças para nos motivar do tanto que seus alvos sejam coisas corretas, naturais, não mundanas e sem valor expressivo e real. temos que sempre procurar fazer o correto, não ficarmos sempre na dependência da proteção dos anjos e santos e da intervenção divina pelo nosso bem.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo nos ensina justamente isso que expressei na minha opinião acima: que não devemos perder nossas cabeças seguindo nossos desejos humanos, mas sim por Deus como nosso centro de vida, aquela luz que nos guia pelo o que é certo, pelo o que é naturalmente correto, assim evitando de deixar o orgulho, o desejo subir a nossa cabeça e perdemos ela por isso.

Uma boa noite a todos.

Fontes

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/21a-semana-tempo-comum-terca-feira-29082017/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.