Liturgia Diária: 24ª Semana do Tempo Comum – Sexta-feira – 22/09/2017

Primeira Leitura: Primeira Carta de São Paulo a Timóteo (1Tm 6,2c-12)

O falso doutor – Isto é o que você deve ensinar e recomendar. Pois, quem ensina coisas diferentes, que não concordam com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensinamento conforme a piedade, é cego, não entende nada, é doente à procura de discussões e brigas de palavras. É dai que nascem invejas, brigas, blasfêmias, suspeitas, polêmicas intermináveis, coisas típicas de homens de espírito corrupto e desprovidos da verdade. Eles supõem que a piedade é fonte de lucro. De fato, a piedade é grande fonte de lucro, mas para quem sabe se contentar. Pois não trouxemos nada para o mundo, e dele nada podemos levar. Se temos o que comer e com que nos vestir, fiquemos contentes com isso. Aqueles, porém, que querem tornar-se ricos, caem na armadilha da tentação e em muitos desejos insensatos e perniciosos, que fazem os homens afundarem na ruína e perdição. Porque a raiz de toso os males é o amor ao dinheiro. Por causa dessa ânsia de dinheiro, alguns se afastaram da fé e afligem a si mesmos com muitos tormentos.

O verdade doutor – Você, porém, homem de Deus, fuja dessas coisas. Procure a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança, a mansidão. Combata o bom combate da fé, conquiste a vida eterna, para a qual você foi chamado. Isso você o reconheceu numa bela profissão de fé diante de muitas testemunhas.

Opinião – passagem que procura deixar claro quais são nossos objetivos na vida: não acumular itens e riquezas materiais, mas viver uma vida plena, correta, procurando nos desenvolvermos por completo e ajudar nossos próximos nessa jornada, no Caminho para uma vida eterna, não por anos sem vim, mas vivida em sua plenitude.

Salmo Responsório (Sl 48)

– Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Porque temer os dias maus e infelizes, quando a malícia dos perversos me circunda? Por que temer os que confiam nas riquezas e se gloriam na abundância de seus bens?

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Ninguém se livra de sua morte por dinheiro nem a Deus pode pagar o seu resgate. A isenção da própria morte não tem preço; não há riqueza que a possa adquirir, nem dar ao homem uma vida sem limites e garantir-lhe uma existência imortal.

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Não te inquietes, quando um homem fica rico e aumenta a opulência de sua casa; pois ao morrer não levará nada consigo, nem seu prestígio poderá acompanhá-lo.

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Felicitava-se a si mesmo enquanto vivo: “Todos te aplaudem, tudo bem, isto é que é vida!” Mas vai-se ele para junto de seus pais, que nunca mais e nunca mais verão a luz!

Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.

Opinião – de nada adianta acumularmos riquezas nessa vida através de dias mal vividos. No final, todos voltamos a terra, viramos cinzas, deixamos esse mundo e dele não levamos nada, por isso devemos viver nossas vidas com plenitude, procurando viver cada minuto, cada momento com intensidade, com certeza, de maneira correta e direita, para termos a sensação de que não estamos desperdiçando a maior dádiva de Deus para nós.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 8,1-3)

As mulheres servem a Jesus – Depois disso, Jesus andava por cidades e povoados, pregando e anunciando a Boa Notícia do Reino de Deus. Os Doze iam com ele, e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos maus e doenças: Maria, chamada Madalena, da qual haviam saído sete demônios; Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana e várias outras mulheres, que ajudavam a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.

Opinião – em uma sociedade machista como a daquela época, onde as mulheres era basicamente donas de casa e ponto, essa passagem demonstra a importância das mulheres no grupo de Jesus, não entrando na questão das teorias de que Jesus era casado com Maria Madalena e que os discípulos tinham ciúmes dela, é importante notar que os bens que elas possuíam não devem ser expressamente notados como bens materiais, mas sim a força que as mulheres tem superiormente a dos homens, não uma força física, mas aquela vontade de progredir, de continuar, de superar as dificuldades, dai vindo o ditado que atrás de todo grande homem, há uma grande mulher.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo reforça essa mensagem a importância das mulheres para Jesus.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/24a-semana-tempo-comum-sexta-feira/?sDia=22&sMes=09&sAno=2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.