Ordem a partir do Caos: Como o Big Data vai mudar o mundo

OrderFromChaosTraduzo aqui as informações do interessante infográfico do site Visual Capitalist que tornam mais fácil visualizar o quanto de informação nós geramos diariamente e onde isso pode ser utilizado e como vai nos impactar.

Big Data segundo a Wikipedia é: termo amplo para conjuntos de dados muito grandes ou complexos que aplicativos de processamento de dados tradicionais são insuficientes. Os desafios incluem análise, captura, curadoria de dados, pesquisa, compartilhamento, armazenamento, transferência, visualização e informações sobre privacidade. O termo simplesmente muitas vezes se refere ao uso de análise preditiva e de alguns outros métodos avançados para extrair valor de dados, e raramente a um determinado tamanho do conjunto de dados. Grande precisão nos dados pode levar à tomada de decisões com mais confiança. E melhores decisões podem significar uma maior eficiência operacional, redução de risco e redução de custos.

O infográfico lá em baixo permite uma visualização completa dos dados que traduzo abaixo:

Ordem a partir do Caos: como o Big Data vai mudar o mundo.

A IBM estima que todo dia 2.5 quintilhões de bytes de dados são criados.

  • Isso é tanto que 90% do total de dados do mundo foi gerado nos últimos dois anos.
  • 2.5 quintilhões de bytes são o equivalente a 2.500.000 de discos rígidos sendo preenchidos todos os dias
  • Entretanto isso é apenas o começo do panorama de dados moderno, já que a taxa de criação de dados e sua replicação esta acelerando em uma taxa exponencial.

De onde vem todos esses dados?

Há mais origens de dados do que em qualquer outro momento da historia:

  • Internamente:
    • Arquivos: documentos digitalizados e arquivos trocados entre organizações e consumidores
  • Externamente:
    • Web publica: Governo, econômico, sensos, e outras fontes de dados publicadas.
  • Ambos:
    • Media Social: Twitter, LinkedIn, Facebook, YouTube e Slideshare
    • Documentos: Email, Word, Excel, PDF, PPT, HTML e dados puros em texto
    • App de negócios: Gestão de Projetos, HR, marketing e dados de CRM
    • Log de maquinário: logs e eventos, dados de servidores e logs de aplicativos
    • Media: Imagens, vídeo, infográficos, podcasts e transmissões ao vivo
    • Dados de sensores: equipamentos médicos, geolocalização, vigilância, motores elétricos inteligentes e internet industrial

Para se ter uma ideia do desafio que o Big Data impõe, abaixo uma lista do que é criado a cada minuto no mundo:

  • 2.5 milhões de compartilhamentos no Facebook
  • 72 horas de videos enviados para o YouTube
  • 4 milhões de pesquisas no Google
  • 300.000 mensagens enviadas pelo Twitter (Tweets)
  • 200 milhões de emails enviados

Mais dados criam novas oportunidades para os negócios

Com analise correta, Big Data pode levar a novos entendimentos do comportamento dos consumidores, melhor gestão de decisões gerenciais, novas inovações e melhorar a gestão de risco. Entretanto, há grandes desafios em fazer uso de tanta informação:

  • Muitos dados criam uma sobre carga de informação
  • Organizar e armazenam tantos dados pode ser problemático
  • As empresas não sabem usar toda essa informação de maneira útil

Aqui seguem exemplos de como as empresas podem se beneficiar pelo uso correto do Big Data:

  • Estudos de caso
    • Macys: ajuste de preço de 73 milhões de itens em tempo real se baseando na demanda e no estoque
    • Walmart: a ultima ferramenta de pesquisa para o site inclui dados semânticos se baseando em analise de texto, aprendizado mecânico e até mineração de sinônimos para produzir resultados de pesquisa relevantes. Walmart informa que isso fez com que os compradores online completando uma operação aumentassem entre 10% e 15%, o que levou a um aumento na receita de bilhões de dólares.
    • Departamentos de policia de Los Angeles e Santa Cruz: usando um algoritmo de previsão de terremotos ajustado e alimentado com dados de crimes os departamentos podem prever onde um novo crime ira ocorrer com a precisão de até 46,45 metros quadrados. Com isso em Los Angeles houve uma redução de 33% em roubos e 21% em crimes violentos nas áreas em que o software esta sendo utilizado
    • American Express: inicialmente procurando por indicadores que poderiam levar a prever a lealdade e desenvolvendo modelos sofisticados para analisar os históricos de transações e 115 variáveis visando prever mudanças bruscas. A empresa lançou então um programa piloto na Austrália e conseguiu identificar 24% das contas no país que irão ser encerradas dentro dos próximos quatro meses.

Criando ordem a partir do caos

Para organizar e entender todo esse montante de informação, os cientistas de dados usam os tres V´s para descrever o Big Data:

  • Volume – a escala dos dados:
    • As companhias tem em sua maioria 100 terabytes de dados armazenados internamente
    • 7.7 bilhões de aparelhos celulares
    • 3.1 bilhões de pessoas conectadas a Web
    • 25 bilhões de equipamentos conectados a internet perto de 2020
  • Velocidade: analise do fluxo dos dados:
    • A bolsa de Nova York captura 1 terabyte de informação em cada seção de negociação de ações
    • Carros modernos possuem 100 sensores que monitoram diferentes sistemas
    • Como esses dados podem ser processados em tempo real para produzir informações para decisões?
  • Variedade – diferentes formas de dados:
    • A maior parte das organizações gasta até 80% do seu tempo modelando e preparando suas informações, em vez de estar analisando ela para produzir informações para decisão
    • Harmonizar múltiplas fontes de dados pode ser complexo
    • Os dados vêm de diferentes fontes e em diferentes formatos

O mercado do Big Data pode ser dividido entre três setores:

  • 22% Software
  • 38% Hardware
  • 40% Serviços

Esses setores podem ser divididos por valor em sub setores:

  • 0 a 10 bilhões de dólares: Nuvem
  • 0 a 20 bilhões de dólares: serviços profissionais
  • 20 a 30 bilhões de dólares: Aplicativos e Analise, NoSQL
  • 30 a 40 bilhões de dólares: Sql, Software de estrutura, rede, armazenamento
  • 40 a 50 bilhões de dólares: Computação/processamento

Quem esta usando o Big data?

Não há falta de empresas querendo usar o big data para tomar melhores decisões: Os setores incluem:

  • Financeiro
  • Medico
  • Governamental
  • Engenharia
  • Agricultura
  • Prevenção de Crimes
  • Marketing
  • Fabricação

A revolução da informação esta aqui

  • Perto de 2020 o total de informação digital tera crescido de 3.2 zettabytes de hoje em dia para 40 zettabytes
  • Os data centers atuais ocupam um total de área equivalente a 6.000 campos de futebol americano
  • As empresas já estão investimento fortemente na análise e entendimento dessas informações
  • Esses investimentos podem levar a implicações que mudariam o nosso mundo
    • Potencial para economizar $300 milhões por ano em gastos com a saúde através de analises
    • Vendedores aumentando sua margem de lucro em até 60% através da analise dos dados de Big Data

“A informação é o petróleo do seculo 21, e a analise é o motor a combustão” Peter Sondergaard, Gartner Research

fonte do inforgrafico:

Courtesy of: Visual Capitalist

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.