Manual de Epicteto – Enchiridion – 48

XLVIII. A condição de característica de uma pessoa vulgar é que ela nunca espera benefícios ou danos dela mesma, mas de outros. A condição e característica de um filosofo é que ele espera danos e benefícios dele mesmo. As marcas de um experiente são que ele não censura ninguém, elogia ninguém, culpa ninguém, acusa ninguém, não diz coisa alguma sobre si como sendo alguém, ou saber qualquer coisa; quando ele é, em qualquer situação contido, ele acusa a s mesmo; e se ele é elogiado ele ri secretamente daquele que o elogia; caso seja censurado ele não faz defesa alguma. Mas ele faz suas coisas sempre consciente dos doentes e feridos, evitando mover qualquer coisa que esteja correta, até que esteja perfeitamente fixada. Ele controla todos os seus desejos; ele transfere suas aversões para coisas que possam prejudicar sua capacidade de julgamento; a utilização de seus poderes a qualquer coisa é bem gentil; se ele parece estúpido ou ignorante ele não se importa, resumidamente ele se observa como um inimigo, sempre em tocaia.

Opinião – o foco do estoicismo é que devemos nos preocupar somente com nossas ações e reações, não perdendo tempo com aquilo que não esta sob o nosso controle. Aqui a passagem seria que uma ser exemplar não culpa os outros, não se defende de duvidas ou opiniões alheias, pois essas coisas não estão sob o controle dele, logo de nada adianta tentar mudar elas.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.