Manual de Epicteto – Enchiridion – 34

XXXIV. Se você for atingido pela perspectiva de qualquer prazer, proteja-se contra ficar ansioso por isso; deixe o prazer esperar a sua vontade, e trate de adia-lo. Então perceba em sua mente dois pontos no tempo: aquele momento em que você ira saborear o prazer; e aquele momento onde você irá retornar a si depois de ter se deliciado com ele; então coloque-se, em oposição a esses momentos, em como você estará grato a si mesmo por ter se abstido disto. E mesmo que pareça ser uma razoável gratificação, tenha certeza que sua força emotiva, agradável e atraente não controle você; mas oponha-se a isso e perceba como é muito melhor estar consciente e ter tido tamanha vitória.

Opinião – trecho complicado, longe de ser a melhor das traduções esta a minha, mas entendo que aqui a mensagem é que quando soubermos que iremos ter uma conquista, um prazer por assim dizer, não devemos deixar a empolgação nos dominar e saboreamos rapidamente este prazer, podemos e devemos nos controlar, esse é o foco do estoicismo afinal de contas, e assim prolongarmos esse deleite, sabendo que temos o controle de nossas ações pois escolhemos em qual momento desfrutar dele, e também do prazer em si, ganhando duas vezes portanto.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.