Manual de Epicteto – Enchiridion – 03

III. Com relação a qualquer objeto que de prazer a vocês, que seja útil, ou seja profundamente amado, lembre-se de dizer a si a origem geral de que eles derivam, começando pelas coisas mais insignificantes. Se, por exemplo, você gostar de uma xícara de cerâmica em especifico, lembre-se que é somente uma xícara que você gosta tanto. Então, caso ela se quebre, você não será perturbado. Se você beija seus filhos, ou sua esposa, diga que você esta simplesmente coisas que são humanas, e assim você não ficará perturbado se algum deles morrer.

Opinião: essa é difícil de entender, quanto mais de executar: evitar de nos apegarmos a bens materiais é “fácil”, afinal são bens materiais que por vezes podem ser substituídos de maneiras ‘fáceis’ até, porém as vezes eles tem valor ‘sentimental’, por nos ajudar a relembrar, a sentir novamente uma sensação boa, que acabamos por vincular ao objeto; agora não nos apegarmos a nossos entes amados é muito mais difícil, para não dizer impossível para alguém que se considere humano. Entendo que talvez a ideia por traz desse pensamento seja de não vivermos presos no passado de uma lembrança, de aproveitarmos mais o presente, aquilo que realmente esta acontecendo em nossas vidas neste momento e sermos gratos por isso. Deixar de amar nossos entes queridos não, pelo contrario, devemos amar eles ainda mais pelo o que eles são, não pelo corpo físico, mas sim pelas pessoas que eles são. Quando os perdemos, seja pelo final da vida, seja por um distanciamento, não devemos chorar por aquilo que poderia ser, mas sim agradecer por tudo que eles nos proporcionaram, e seguirmos em frente com nossa vida natural. Reafirmo ser difícil de fazer isso, mas acho que deixarmos a carga emocional que nos prende a tantas coisas pelos anos de vida passados pode ser saudável e pratico para um maior aproveitamento do agora e dos dias futuros de nossas vidas.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.