Réplica Chinesa de Manhattan é cheia de prédios pela metade, arranha céus desertos e alaga regularmente.

A linha do horizonte de Yujiapu na cidade chinesa de Tianjin se parece mais com um cenario abandonado e crescente de filme do que com a nova Manhattan da China, como este distrito financeiro foi uma vez propagandeado. Uma camada de pó cobre as portas de vidro dos 47 prédios de escritórios e hotéis que estão vazios, e na maioria das vezes inacabados.

Essa cidade fantasma com estilo de Mahattan e localizada na melhor parte de Tianjin, uma cidade portuária ao sul de Pequim , é uma vitima da bolha de investimento chinesa – e, cada vez mais aparente, de sua explosão. Tianjin liderou a festiva do credito nos últimos cinco anos, emprestando dinheiro mais rápido que qualquer outro lugar na China desde que a crise financeira atingiu em 2009.

Muito da construção parou em 2010, e as avenidas desertas deixadas para traz refletem os empréstimos sem limites dos veículos de financiamento dos governos locais – companhias criadas pelos governos das cidades e das províncias para empresar dinheiro barato dos bancos governamentais para financiar projetos de infra estrutura com função de aumentar o orgulho e prestigio. Construída por um dos maiores veículos de financiamento dos governos locais de Tianjin, Yujiapu prometia se tornar “o maior distrito financeiro do mundo”, com ao menos 200 milhões de yuan ($32 bilhões de dolares) investidos para criar o novo centro da ‘inovação financeira’ chinesa.

Agora, com o mercado chinês em um declínio continuo e a economia patinando, esses veículos por todo o pais estão vendo os empréstimos vencerem e pouco ou nenhum fluxo de caixa para cobrir eles. No caso do Tianjin Binhai New Area Construction and Investment Group, algo em torno de 20.7 bilhões de yuan ($3.3 bilhões de dólares) em empréstimos vencem este ano – três vezes mais do que era devido em 2013, informa a Bloomberg. Enquanto isso, as vendas caíram 70% em 2013, trazendo menos do que um terço que os veículos de financiamento devem em 2014.

Como uma empresa pode ter feito tamanha aposta? Em uma palavra, vaidade – da cidade e dos seus lideres. Apesar que Xangai seja aceita como o centro financeiro chinês hoje, nem sempre foi assim. Em 2008, Tianjin lançou uma campanha agressiva para brigar pelo titulo da sua rival do sul, levantando um conjunto de mercado de negociação de capital e commodities e se posicionando como um centro para a igualdade privada.

O projeto da nova Manhattan chinesa estava associado com Zhang Gaolie, o secretario do partido comunista de Tianjin na época, que ganhou um dos 7 postos no gabinete chinês em 2012 e agora é um dos economistas lideres do pais, informa o The New York Times. Sem surpresa, Zhang é um grande fã dos investimentos liderados pelo governo. Mas até mesmo quando ele graduou-se na elite do Partido em 2012, Tianjin já estava atolada profundamente em dividas. (Apesar de não ter quebrado a divida de Tianjin, uma auditoria oficial descobriu que Tianjin, Xangai e Guangzhou tinham conjuntamente 3.9 trilhões em dividas no final de 2012, uma media de $17.4 bilhões de dólares para cada uma.)

A o fluxo de caixa não é o único problema na Manhatam do Reio Medio. Construída nas planícies da costa apenas alguns centímetros acima do nível do mar, Yujiapu esta propensa a enchentes devido a tempestades e chuvas fortes. Um residente local informou o Times em 2012, depois de um clima ruim naquela primavera ” você tinha que enrolar sua calça e tirar seus sapatos para cruzar a rua.”

Visto em: http://www.bolhaimobiliaria.com/2014/06/27/vendas-de-imoveis-recuam-em-bh-mas-preco-alto-resiste-otempo/#comment-537871
Fonte: http://qz.com/227271/chinas-replica-of-wall-street-is-full-of-half-built-deserted-skyscrapers-and-floods-regularly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.