Empresas chinesas acumularam $14.2 trilhões em dividas – mais do que qualquer outro pais no planeta.

Em 2009, as 8.500 empresas negociadas na China estavam em muito melhor forma que suas concorrentes globais. Não mais. A empresa media chinesa hoje tem um fluxo de caixa muito pior e mais dividas do que qualquer outra empresa semelhante em qualquer lugar do mundo, diz a Standard & Poor´s, uma agencia avaliadora.Os empréstimos tomados pela China têm sido tão volumosos que suas empresas acumulavam $14.2 trilhões de dividas no fim de 2013, passando muito dos $13.1 trilhões da divida dos Estados Unidos para se tornar os maiores tomadores de credito empresariais do mundo. Isto, diz a S&P, é alarmante desde que “um risco maior para os tomadores de credito chineses é um risco maior para o mundo”.

Como a China conseguiu subir ao topo da lista de divida empresarial um ano antes que a S&P esperava?

A historia nos leva de volta a crise financeira global. Depois do colapso do Lehman Brothers no final de 2008, os lideres chineses abriram as torneiras dos empréstimos, injetando enormes somas de credito no sistema através de bancos governamentais. Muito disso foi para setores que estimulam o crescimento, como o setor imobiliário, construção naval e siderúrgicas. O Momento era ruim, a economia da China já havia atingido seu pico em 2007, e estava começando a desacelerar.

Conforme as empresas chinesas expandiam sua capacidade produtiva – construindo novas fabricas, comprando mais terras, e assim por diante – elas começaram a criar um excesso de oferta e isso levou a uma queda nos preços. Com isso o fluxo de dinheiro foi mais penalizado ainda.

Mas em vez de deixar as companhias falirem, os lideres continuam injetando mais dinheiro no sistema, em parte através de canais oficiais, e também liberando o sistema de credito fora de planilhas da China – mais conhecido como “shadow banking” – para crescer. Isso encaminhou dinheiro a empresas com péssimo histórico de credito e fluxo de caixa fraco que nenhum banco são iria emprestar para. Agora, até um terço da divida empresarial – algo entre $4 e $5 trilhões – vem o setor de shadow banking. Uma enorme parte desse financiamento não foi usada em investimentos em novos negócios, mas sim para pagar antigas dividas.

Apesar de estes problemas terem se tornado grandes demais para serem ignorados no ano passado, eles continuaram a se agravar. Isso pode prejudicar a economia global, diz a S&P. “Sendo a segunda maior economia nacional no mundo, qualquer problema para o setor empresarial da China poderia se espalhar para outros países” é dito em um relatório.

Infelizmente, o uso de credito pelas empresas da China não esta desacelerando. S&P diz que, por volta de 2018, as empresas do Império do Meio terão lançado entre $21.9 e 23.9 trilhões em dividas – igualando um terço da divida empresarial mundial, incluindo refinanciamentos e novos pedidos de credito. Isso implica em um crescimento anual entre 5.5% e 9% – muito maior que a capacidade da economia chinesa em crescer.

Fonte:

Visto em: http://www.bolhaimobiliaria.com/2014/06/16/lancamentos-imobiliarios-diminuem-73-em-porto-alegre-revista-pense-
imoveis/#comment-531430
Fonte: http://qz.com/221584/chinese-companies-have-racked-up-14-2-trillion-in-debt-more-than-any-other-country-on-the-planet/

Tradução com fins educacionais e de prática do idioma. Sem fins lucrativos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.