The Witcher 3: Wild Hunt

TheWitcher3 - CapaVamos cruzar o mundo aberto do GTA, com elementos da historia dos contos de fadas e Game Of Thrones com umas pitadas de tempero de historias em quadrinho e temos The Witcher 3, um jogo que realmente surpreende não só pelos gráficos, mas sim pela narrativa, personagens que são humanos apesar de serem não-humanos, lidar com temas delicados como racismo, fanatismo, medo do desconhecido e ainda ser muito divertido.

Você é Geralt de Rivia, um tipo de anti-heroi com um passado e origem interessantes: fruto de um experimento químico (Capitão América?) e treinamento intensivo (Rambo?) acabou por se tornar um hábil espadachim com conhecimento e capacidades físicas muito além da de humanos normais, tudo com o objetivo de caçar os monstros que vieram para o nosso mundo quando da conjuntura de vários mundos, que trouxe Grifos, dragões, anões, elfos e outros seres mágicos e não humanos (Senhor dos Aneis, Game of Thrones, Branca de Neve) para conviverem no nosso planeta, que assim como as obras de Tolkien, é dividido em vários países, territórios e regiões diferentes das nossas.TheWitcher3-Johny

Toda essa historia já seria suficiente para um jogo que busca-se apenas um pano de fundo para justificar o fato de seu personagem fatiar pessoas ao meio, encarar gargolas e fantasmas e ter um aspecto diferente, porém é aqui que Witcher se distancia dos outros: esse pano de fundo é bem utilizado para lidar com temas atuais de desenvolvimento humano: o Geralt sofre preconceito por ser um mutante, as pessoas querem ele por perto quando ele é útil, porém assim que seus ‘serviços’ não são mais necessários, querem ele o mais longe possível. Apesar de humanos, elfos e anões dividirem cidades, há uma forte tensão entre eles, não havendo poucos casos de racismo entre as raças. Um governante devoto exageradamente a uma religião logo se vira contra aqueles que o ajudaram anteriormente. Os personagens do jogo são criveis, tem profundidade e acrescentam valor ao jogo como um todo.

TheWitcher3-GeraltPorDoSolWitcher é um jogo que também conta a historia de uma figura paterna atrás da sua ‘filha’, mesmo nesse caso esse relacionamento envolvendo poções e descendencias magicas, porém representando o carinho e amor que um pai pode desenvolver por uma filha mesmo ela não sendo sua geneticamente, um ótimo exemplo da já clássica: Pai é quem cria. porém como uma historia a ser contada é um tipo de comunicação, não só a mensagem importa, mas sim também o meio pelo qual ela é contada e nesse ponto a produção se destacou.

TheWitcher3-EredinHoje o Brasil apesar da crise é um mercado importante para as produtoras de Video-Games, depois de ficar anos na escuridão da zona cinza e das desculpas que sempre jogavam a culpa na pirataria. Após muitos esforços da TecToy inicialmente traduzindo jogos das plataformas da Sega e depois produtoras como a GreenLeaf e outras de jogos de PCs, finalmente os jogos de consoles começaram a serem dublados, alguns com qualidade não muito boa, outros ficando famosos por serem horríveis e temos casos como o já avaliado aqui Sombras de Mordor que apresentou uma dublagem exemplar. Pois bem Witcher levanta esse nível a um patamar mais alto, apresentando muitas horas de dublagem de ótima qualidade, sem sotaques ou má interpretações. Durante todo o jogo somente uma ou outra fala me pareceu fora de entonação ou totalmente errada, o que é compreensivel considerando a complexidade do jogo e seu tamanho real. Há literalmente milhares de falas que podem ser escolhidas, e o desenrolar do jogo pode levar a 36 finais diferentes. Um trabalho louvável da produtora.

TheWitcher3-KaerMohenRecomendo tanto logicamente quanto emocionalmente esse jogo a todos aqueles que querem uma boa historia, com uma boa narrativa e personagens marcantes. Recomendo também para aqueles que querem um jogo bem feito, com controles responsivos (após a atualização da versão 1.08) e que forneça diversas horas de conteúdo e diversão.

Fica também aqui uma observação: se uma pequena produtora da Polônia pode lançar um jogo no Brasil pelo mesmo preço que outras produtoras e incluir no pacote: Um mapa, adesivos, cd com trilha sonora, 16 DLCs lançados aos poucos, um manual impresso decente e uma carta de agradecimento, além de terem dublado o jogo INTEIRO, qual a desculpa das GRANDES produtoras para lançarem jogos pelo mesmo preço e incluir somente as instruções na traseira da capa, que não fica nada fácil de ler e um papel fininho com código para baixar uma DLC? Sim estou olhando para você Konami e seu Metal Gear Solid Phanton Pain.TheWitcher3-Mapa

The Witcher 3: Wild Hunt
Disponível para: PS4(versão avaliada), XboxOne, PC
Produtora: CD Projekt RED
Ano de Lançamento: 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.