Call Of Duty: Ghosts

Call of Duty GhostsDessa vez o dever chama até os fantasmas a fazerem a sua parte contra um inimigo não tão desconhecido. E com a ajuda de um cachorro iremos passar por céu, terra e mar, além de alguns momentos na escuridão do espaço.

Enredo

Call of Duty GhostsEssa edição de Call Of Duty nos coloca em uma época onde o mundo esta dividido entre os E.U.A e seus aliados e a “Federação”, estes últimos estão numa jornada para acabar com os primeiros inclusive conquistando outros países e impondo uma lei onde todo cidadão dos E.U.A deve ser morto ou preso. Uma historia meio requentada de clássicos da época da guerra fria, anos 90, inicio dos anos 2000 e etc. com o diferencial que agora o inimigo fala espanhol. Há algumas reviravoltas durante o desenrolar do jogo, com clichês como vingança, impressionar o nosso pai, segredos de família e um inimigo digno de semelhança com o Jason do Sexta Feira 13, que simplesmente não morre. Graças a esse ultimo detalhe o jogo acaba com um gancho (cliffhanger para os que curtem neologismos) para uma continuação, que talvez saia ou não, já que as noticias dão conta de que o jogo teve um desempenho de vendas abaixo do esperado pela sua produtora, a Activision.

JogabilidadeCall of Duty Ghosts

Call Of Duty sempre se destacou pela grandeza das ações que o jogador é envolvido e pela beleza na execução das mesmas, você praticamente assiste a um filme de ação de Hollywood onde você escolher como correr e para onde a câmera aponta. Porém essa grandiosidade e tendência para o espetáculo também acaba limitando as ações do jogador, por mais belo que sejam os cenários e amplos que eles pareçam, seja no fundo do mar, no espaço sideral, dentro de uma base nas montanhas geladas dos Andes. Entendo que para o jogo poder criar a incrível cena de você passar raspando por baixo de uma chaminé industrial que desmorona, ele tem que limitar seus movimentos e forçar você a passar por baixo da determinada chaminé no momento exato para que você veja a cena do melhor ângulo possível. Mas as vezes, por mais grandioso que seja o momento, você se sente um mero coadjuvante, pois ou seus amigos controlados pelo computador limpam a sala facilmente e você só precisa ir andando, ou as coisas se resolvem sem que você precise mais do que apertar um botão. Com controles que respondem tão bem quanto esses e a variedade de armas e localidades disponíveis, um pouco menos de ‘show’ e um pouco mais de liberdade cairia bem a serie.

 Gráficos

Call of Duty GhostsO jogo é bonito quando jogado na geração atual (PS4, XboxOne) ou no PC, e dentro dos padrões para o PS3 e o Xbox 360. No PS4 encontrei alguns momentos onde o jogo engasga e rola uma lentidão, engraçado que não foram nos momentos onde havia mais inimigos e ação na tela, mas sim em momentos onde a câmera muda rapidamente seu angulo e não temos controle, sendo utilizados em momentos para ‘contar’ a historia. Destaco os belos efeitos de iluminação e texturas não só dos personagens principais, mas também do ambiente, combinando esses dois e a variedade de ambientes pelos quais o jogo passa, temos uma experiência muito agradável aos olhos.

Som

Call of Duty GhostsA dublagem do jogo foi bem feita, com pouco sotaque ou regionalismos, ficando somente em alguns momentos um pouco ‘rasa’, sem interpretação condizente com o que se passa na tela e com diferenças entre o que aparece nas legendas e o que é ouvido. Também há algumas frases que ao serem traduzidas talvez ao pé da letra ou sem levar em consideração o contexto ficam perdidas. A mixagem da dublagem também poderia utilizar do aumento de volume quando do uso do canal principal quando em surround, pois às vezes as vozes que estão bem a nossa frente ficam baixas.

Defeitos (bugs)

Call of Duty GhostsEncontrei somente um defeito (bug) durante o jogo: comecei a jogar ele sem a atualização terminar de baixar, pois estava muito lenta, e joguei umas boas 4 horas antes de que a mesma fosse instalada. Após o jogo ser atualizado que veio a surpresa: ele não reconhecia mais meu save, não dando a opção de continuar o jogo, somente criar um novo. Só consegui utilizar meu save novamente após desinstalar o jogo e rodar ele sem a atualização. Deveria ter esperado o jogo atualizar antes de jogar? Talvez, porém a produtora só deveria lançar um jogo depois que ele estive-se completo e testado, e se uma atualização é necessária ela deve ser compatível com os dados já gravados até o momento, e não exigir do jogador que ele inicie novamente o jogo.

Conclusão

Alguns já começam a chamar Call Of Duty pelo ano de seu lançamento, considerando que todo ano tem um novo. A Activision percebeu que isso estava desgastando a marca e quebrou a produção dos jogos entre 3 empresas, então cada uma poderia lançar um Call Of Duty “seu” porém ainda diferente do imediatamente anterior ou do próximo. Isso garantiria uma sensação de novidade aos jogadores, porém mesmo assim parece que o jogo já começa a cansar e cair na mesmice, com certa falta de inovação. Talvez mudar o foco das batalhas e inovar seja o caminho. Mesmo assim Call Of Duty Ghosts vale a pena ser jogado em seu moto single player e caso você seja bom e tenha ótimos reflexos, também no Multiplayer.

Call of Duty Ghosts

Site oficial: https://www.callofduty.com/ghosts/home

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.