Manual de Epicteto – Enchiridion – 37

XXXVII. Se você julgou qualquer personagem acima de suas forças, você tanto julgou mal esta figura nisto quanto abandonou qualquer oportunidade que você poderia ter apoiado.

Opinião – por vezes nos sentimos inferiorizados perante os outros, julgando eles melhores do que nós, isso é um erro pois todos podemos nos esforçar mais, já que somos somente responsáveis por aquilo que temos controle, não devemos portanto nos inferiorizar perante os outros e nem coloca-los em pedestais, pois podemos chegar nos níveis mais elevados que podemos imaginar e estar lado a lado daqueles que julgamos melhores.Basta queremos isso e transformarmos esse querer em ação, atitude, realização de algo.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Liturgia diária: 30ª Semana do Tempo Comum – Terça-feira – 31/10/2017

Primeira Leitura: Carta de São Paulo aos Romanos (Rm 8,18-25)

Esperando um mundo novo –Penso que os sofrimentos do momento presente não se comparam com a glória futura que deverá ser revelada em nós. A própria criação espera com impaciência a manifestação dos filhos de Deus. Entregue ao poder do nada – não por sua própria vontade, mas por vontade daquele que a submeteu -, a criação abriga a esperança, pois ela também será liberta da escravidão da corrupção, para participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus.

Opinião – passagem que expressa como as dificuldades do presente são as sementes da colheita de dádivas no futuro. Podemos passar por dificuldades, sofrermos em diversos momentos quando aceitamos o Conhecimento de Deus, quando abrimos mão da recompensa imediata e mundana para termos uma recompensa prolongada e de Deus, mas no final, naquele momento que mais importa, é a recompensa que a Palavra prega que traz para nós uma vida plena e completa.

Salmo responsório (Sl 125)

— Maravilhas fez conosco o Senhor!
Maravilhas fez conosco o Senhor!

— Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, parecíamos sonhar; encheu-se de sorriso nossa boca, nossos lábios, de canções.
Maravilhas fez conosco o Senhor!

— Entre os gentios se dizia: “Maravilhas fez com eles o Senhor!” Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!
Maravilhas fez conosco o Senhor!

— Mudai a nossa sorte, ó Senhor, como torrentes no deserto. Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.
Maravilhas fez conosco o Senhor!

— Chorando de tristeza sairão, espalhando suas sementes; cantando de alegria voltarão, carregando os seus feixes!
Maravilhas fez conosco o Senhor!

Opinião – mesmo nos momentos onde mais sofremos e também naqueles de maior gloria em nossas vidas, tenhamos a certeza que é o Dom de Deus que age em nossas vidas, sempre procurando que nos desenvolvemos, que progredimos, e sempre isso irá gerar comentários dos outros, que não entendem a Palavra e seu Conhecimento, mas que ficarão espantado com nossas capacidades e realizações.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 13,18-21)

O Reino atingirá o mundo inteiro -E Jesus dizia: “A que é semelhante o Reino de Deus, e com o que eu poderia compará-lo? Ele é como a semente de mostarda que um homem pega e joga no seu jardim. A semente cresce, torna-se árvore, e as aves do céu fazem seus ninhos nos ramos dela.”

Jesus disse ainda: “Com o que eu poderia comparar o Reino de Deus? Ele é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado.”

Opinião – o Reino de Deus é baseado em uma verdade universal: não fazermos ao próximo aquilo que não queremos que façam conosco; se todos pensarem assim, recebermos essa Sabedoria de corações abertos, o mundo irá simplesmente e sistematicamente melhorar, já que todos teremos consciência dos nossos atos não só conosco, mas também com o próximo, tornando não só as nossas vidas melhores, mas a vida da sociedade como um todo.

A homilia de hoje trata pelas palavras do Padre Roger Araújo da importância do Evangelho, da Palavra de Deus em nossas vidas, no começo pode parecer somente mais um livro, mais um monte de palavras de um tempo tão diferente e distante do nosso, mas são essas palavras, esse Conhecimento que transforma, pouco a pouco nossa vida, de uma vida onde valorizamos muito o material, para passarmos a valorizar o tesouro espiritual: a vida em plenitude que temos a oportunidade de alcançarmos em vida.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/30a-semana-tempo-comum-terca-feira/?sDia=31&sMes=10&sAno=2017

Manual de Epicteto – Enchiridion – 36

XXXVI. Assim como a premissa, “Ou é dia, ou é noite”, é apropriada para um argumento severo, mas impropria para um argumento mais leve, assim também, em um jantar, escolher o maior pedaço é muito agradável para o apetite to corpo, mas totalmente inconsistente com o espírito social da ocasião. Quando você comer com outros, então, lembre-se não somente de valorizar as coisas diante de você pelos desejos corporais, mas valorizar pelo comportamento que você procura ter diante da pessoa que organiza a ocasião.

Opinião – existem momentos para tudo, inclusive para servos decididos e ‘cabeças duras’, trabalhando com opiniões fortes e imutáveis, porém nem toda conversa, argumentação precisa ser assim, por vezes devemos manter nossas opiniões para nós e trabalharmos nossas interações evitando o conflito com os outros; da mesma maneira, não devemos ceder aos desejos do nosso corpo e nos esbaldarmos sempre na realização de tais desejos, seja eles quais querem for. Em sociedade, devemos manter nossos bons modos e boa educação.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Liturgia diária: 30ª Semana do Tempo Comum – Segunda-feira – 30/10/2017

Primeira leitura: Carta de São Paulo aos Romanos (Rm 8,12-17)

Irmãos, temos uma dívida, mas não para com a carne, para vivermos segundo a carne. Pois, se viverdes segundo a carne, morrereis, mas se, pelo espírito, matardes o procedimento carnal, então vivereis. Todos aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. De fato, vós não recebestes um espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes um espírito de filhos adotivos, no qual todos nós clamamos: Abá — ó Pai! O próprio Espírito se une ao nosso espírito para nos atestar que somos filhos de Deus. E, se somos filhos, somos também herdeiros — herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo —; se realmente sofremos com ele, é para sermos também glorificados com ele.

Opinião – ao deixarmos de seguir nossos instintos carnais, animais, e aceitarmos a elevação da consciência seguindo a iluminação da Palavra de Deus, caminhamos pela Sabedoria, assim vivendo uma vida mais plena, mais completa.

Salmo responsório (Sl 67)

— Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador!

Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador!

— Eis que Deus se põe de pé, e os inimigos se dispersam! Fogem longe de sua face os que odeiam o Senhor! Mas os justos se alegram na presença do Senhor, rejubilam satisfeitos e exultam de alegria!

Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador!

— Dos órfãos ele é pai, das viúvas, protetor; é assim o nosso Deus em sua santa habitação. É o Senhor quem dá abrigo, dá um lar aos deserdados, quem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura.

Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador!

— Bendito seja Deus, bendito seja cada dia, o Deus da nossa salvação, que carrega os nossos fardos! Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador; o Senhor, só o Senhor, nos poderá livrar da morte!

Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador!

Opinião – Deus, o conhecimento da Palavra, o exemplo de Jesus Cristo são as coisas que ao decidirmos seguir, aceitarmos em nossos corações, garantem nossa vida, nossa capacidade de superação e crescimento.

Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas (Lc 13,10-17)

Naquele tempo, Jesus estava ensinando numa sinagoga, em dia de sábado. Havia aí uma mulher que, fazia dezoito anos, estava com um espírito que a tornava doente. Era encurvada e incapaz de se endireitar.Vendo-a, Jesus chamou-a e lhe disse: “Mulher, estás livre da tua doença”. Jesus pôs as mãos sobre ela, e imediatamente a mulher se endireitou e começou a louvar a Deus.

O chefe da sinagoga ficou furioso, porque Jesus tinha feito uma cura em dia de sábado. E, tomando a palavra, começou a dizer à multidão: “Existem seis dias para trabalhar. Vinde, então, nesses dias para serdes curados, não em dia de sábado”.

O Senhor lhe respondeu: “Hipócritas! Cada um de vós não solta do curral o boi ou o jumento, para dar-lhe de beber, mesmo que seja dia de sábado? Esta filha de Abraão, que Satanás amarrou durante dezoito anos, não deveria ser libertada dessa prisão, em dia de sábado?” Esta resposta envergonhou todos os inimigos de Jesus. E a multidão inteira se alegrava com as maravilhas que ele fazia.

Opinião – a Lei da época dizia que não era correto trabalhar em dia se sábado, e as curas eram considerados um trabalho; porém Jesus deixa bem claro mais uma vez que ele veio mostrar ao povo que o bem não deve responder a leis antiquadas, devemos sempre fazer o bem, não importa a quem, nem quando e nem onde.

O Padre Roger Araújo, na homilia de hoje explica bem essa questão de deixarmos as Leis humanas, os desejos carnais, para abraçarmos a liberdade do exemplo de Jesus Cristo, de onde destaco: “Precisamos deixar que Jesus Salvador, Jesus libertador, aja em nosso coração, em nossa mente e vontade. Precisamos querer ser livres.”

Uma boa noite a todos.

Fonte dos textos: https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/30a-semana-tempo-comum-segunda-feira/?sDia=30&sMes=10&sAno=2017

Manual de Epicteto – Enchiridion – 35

XXXV. Quando você fizer qualquer coisa ciente de que aquilo precisa ser feito, nunca se envergonhe de ser visto fazendo isso, por mais que o mundo possa fazer uma suposição errada sobre o que você faz; se você não esta agindo corretamente, culpe a ação em si; mas, se você esta agindo corretamente, porque você esta com medo daqueles que lhe julgarão incorretamente?

Opinião – a interpretação dos outros não é algo que esta sob o nosso controle, logo pelo estoicismo não é algo que devemos gastar nossa energia, e se estamos fazendo algo que temos certeza que é o correto, a opinião alheia não deveria causar qualquer impacto ou ter importância para nós.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Liturgia diária: 29ª Semana do Tempo Comum – Sexta-feira – 27/10/2017

Primeira leitura: Carta de São Paulo aos Romanos (Rm 7,18-25a)

Sei que o bem não mora em mim, isto é, em meus instintos egoístas. O querer o bem está em mim, mas não sou capaz de fazê-lo. Não faço o bem que quero, e sim o mal que não quero. Ora, se faço aquilo que não quero, não sou eu que o faço, mas é o pecado que mora em mim.

Assim, encontro em mim esta lei: quando quero fazer o bem, acabo encontrando o mal. No meu íntimo, eu amo a lei de Deus; mas percebo em meus membros outra lei que luta contra a lei da minha razão e que me torna escravo da lei do pecado que está nos meus membros.

Infeliz de mim! Quem me libertará deste corpo de morte? Sejam dadas graças a Deus, por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor. Assim, pela razão eu sirvo à lei de Deus, mas pelos instintos egoístas sirvo à lei do pecado.

Opinião – muitas vezes desejamos fazer o bem sempre, mas acabamos por fazer o mal, pois nossa natureza básica, nossos instintos são imperfeitos, animalescos e egoístas. Podemos desenvolver a consciência de querermos o bem, mas devemos estar sempre vigilantes, mantendo a Luz de Deus como o guia do nosso caminho, e nosso coração aberto para o Conhecimento da Palavra, para que assim desenvolvamos a nossa vida eterna e plena.

Salmo Responsório (Sl 118)

— Ensinai-me a fazer vossa vontade!

Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Dai-me bom senso, retidão, sabedoria, pois tenho fé nos vossos santos mandamentos!

Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Porque sois bom e realizais somente o bem, ensinai-me a fazer vossa vontade!

Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Vosso amor seja um consolo para mim, conforme a vosso servo prometestes.

Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Venha a mim o vosso amor e viverei, porque tenho em vossa lei o meu prazer!

Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Eu jamais esquecerei vossos preceitos, por meio deles conservais a minha vida.

Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Vinde salvar-me, ó Senhor, eu vos pertenço! Porque sempre procurei vossa vontade.

Ensinai-me a fazer vossa vontade!

Opinião – pedimos a Deus que ele nos guie, nos ensine a fazer as coisas conforme ele quer, na ordem natural e correta, através da sua luz e orientação.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 12,54-59)

Interpretar o tempo presente –Jesus também dizia às multidões: “Quando vocês vêem uma nuvem vinda do ocidente, vocês logo dizem que vem chuva; e assim acontece. Quando vocês sentem soprar o vento do sul, vocês dizem que vai fazer calor; e assim acontece. Hipócritas! Vocês sabem interpretar o aspecto da terra e do céu. Como é que vocês não sabem interpretar o tempo presente? Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo? Quando, pois, você está para se apresentar com seu adversário diante do magistrado, procure resolver o caso com o adversário enquanto estão a caminho, senão este o levará ao juiz, e o juiz entregará você ao guarda, e o guarda o jogará na cadeia. Eu digo: daí você não sairá, enquanto não pagar o último centavo.”

Opinião – aprendemos muito durante nossa vida, aprendemos sobre coisas reais que pareciam mágica quando éramos mais novos, nosso ritmo de vida cria cultura, conhecimento, desvenda mistérios mais rápido a cada dia que passa, mas mesmo assim nós muitas vezes esquecemos do nosso básico, da nossa vida e da necessidade de entendermos o mistérios de como usar nossa dádiva de vida de uma maneira completa, é nesse momentos que devemos nos voltar a Deus e deixar Ele nos guiar, com sua Palavra, com seu Conhecimento, através do exemplo de Jesus Cristo.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo trabalha essa nossa tentativa de conhecermos e entendermos o mundo mas esquecermos do nosso entendimento, de onde destaco: “Não levemos a vida de qualquer jeito.” É uma dádiva muito bela e única nossa vida para usarmos ela de qualquer maneira.

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Salmo: Canção nova. Disponível em https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/29a-semana-tempo-comum-sexta-feira/?sDia=27&sMes=10&sAno=2017

Manual de Epicteto – Enchiridion – 34

XXXIV. Se você for atingido pela perspectiva de qualquer prazer, proteja-se contra ficar ansioso por isso; deixe o prazer esperar a sua vontade, e trate de adia-lo. Então perceba em sua mente dois pontos no tempo: aquele momento em que você ira saborear o prazer; e aquele momento onde você irá retornar a si depois de ter se deliciado com ele; então coloque-se, em oposição a esses momentos, em como você estará grato a si mesmo por ter se abstido disto. E mesmo que pareça ser uma razoável gratificação, tenha certeza que sua força emotiva, agradável e atraente não controle você; mas oponha-se a isso e perceba como é muito melhor estar consciente e ter tido tamanha vitória.

Opinião – trecho complicado, longe de ser a melhor das traduções esta a minha, mas entendo que aqui a mensagem é que quando soubermos que iremos ter uma conquista, um prazer por assim dizer, não devemos deixar a empolgação nos dominar e saboreamos rapidamente este prazer, podemos e devemos nos controlar, esse é o foco do estoicismo afinal de contas, e assim prolongarmos esse deleite, sabendo que temos o controle de nossas ações pois escolhemos em qual momento desfrutar dele, e também do prazer em si, ganhando duas vezes portanto.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Liturgia diária: 5ª-feira da 29ª Semana do Tempo Comum – 26/10/2017

Primeira Leitura: Carta de São Paulo aos Romanos (Rm 6,19-23)

Escravos de Deus e da justiça – Falo com palavras simples por causa da fraqueza de vocês. Assim como antes vocês puseram seus membros a serviço da imoralidade e da desordem que conduzem à revolta contra Deus, agora ponham seus membros a serviço da justiça para a santificação de vocês.

Quando eram escravos do pecado, vocês eram livres em relação à justiça. Que frutos colheram então? Frutos de que agora se envergonham, pois o fim deles é a morte. Mas agora, livres do pecado e tornados escravos de Deus, vocês dão frutos que conduzem à santificação e o fim deles é a vida eterna. Pois a morte é o salário do pecado, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Jesus Cristo, nosso Senhor.

Opinião – passagem onde Paulo procura explicar aos romanos que uma vida desregrada por dar aquela sensação de liberdade, sem pressão, vivendo apenas para consumar nossos desejos, porém os frutos disso são ruins, tenebrosos e acabam infalivelmente em um sentimento de vida desperdiçada; devotemos nosso tempo, nossas energias para o bem, seguindo a Luz de Deus, deixando a Palavra entrar em nosso coração e nos levar para uma vida plena e completa.

Salmo responsório (Sl 1)

É feliz quem a Deus se confia!

Feliz é todo aquele que não anda 
conforme os conselhos dos perversos;
que não entra no caminho dos malvados, 
nem junto aos zombadores vai sentar-se;
mas encontra seu prazer na lei de Deus 
e a medita, dia e noite, sem cessar.

É feliz quem a Deus se confia!

Eis que ele é semelhante a uma árvore 
que à beira da torrente está plantada;
ela sempre dá seus frutos a seu tempo, 
e jamais as suas folhas vão murchar. 
Eis que tudo o que ele faz vai prosperar.

É feliz quem a Deus se confia!

mas bem outra é a sorte dos perversos. 
Ao contrário, são iguais à palha seca 
espalhada e dispersada pelo vento.
Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, 
mas a estrada dos malvados leva à morte.

É feliz quem a Deus se confia!

Opinião – Ao seguirmos o caminho que a Luz de Deus nos mostra, ou seja, aceitando em nossas vidas o Conhecimento da Palavra, começamos a agir de maneira diferente, uma maneira mais correta, direta, que evita que percorramos os caminhos tortuosos do mundo, que levam a prazeres baratos, mas a problemas duradouros e custosos a nós.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 12,49-53)

Jesus é sinal de contradição – Eu vim para lançar fogo sobre a terra: e como gostaria que já estivesse aceso! Devo ser batizado com um batismo, e como estou ansioso até que isso se cumpra! Vocês pensam que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu lhes digo, vim trazer divisão. Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas, e duas contra três. Ficarão divididos: o pai contra o filho, e o filho contra o pai; a mãe contra a filha, e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora, e a nora contra a sogra.”

Opinião – Aqui Jesus deixa claro que ele não veio para manter a paz numa sociedade que era dura de coração e perversa com os seus; Jesus veio para quebrar as amarras daquela sociedade, causar o conflito entre quem estava disposto a aceitar realmente a palavra de Deus em suas vidas e viver de acordo, e isso ele sabia, que quem o segui-se iria sofrer com essa separação, conflitos iriam nascer, mas que no final, era assim que teria que ser, uma verdadeira revolução, para sairmos do caminho do mundo de prazeres baratos.

Na homilia de hoje o Padre Roger Araújo realça essa missão de Jesus, em como o fogo da Palavra de Deus age em nossas vidas nos corrigindo, conforme a seguinte passagem: “O fogo do Espírito nos tira do desânimo, do cansaço e do marasmo em que a nossa vida se encontra. O fogo do Espírito lança um ânimo novo em nossa vida.”

Uma boa noite a todos.

Textos leituras: Bíblia Sagrada – edição Pastoral – Editora Paulus 1990, 65º impressão
Disponível em: http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_INDEX.HTM

Manual de Epicteto – Enchiridion – 33n

XXXIIIn. Em conversas, evite a menção frequente e excessiva das suas ações e conquistas. Pois, por mais agradável que seja a você mencionar os riscos que enfrentou, não é igualmente agradável aos outros ouvis sobre suas aventuras. Evite, assim também, uma vontade de provocar o riso. Pois isso é um ponto escorregadio, que pode lhe empurrar para maneiras vulgares, e , além disso, pode diminuir a estima por você para aqueles que estão próximos a ti. Tentativas de discursos indecentes são tão perigosas quanto. Toda vez, portanto, que algo assim ocorrer, se houver oportunidade, contrarie aquele que tentar avançar desta maneira; ou, ao menos, cale-se e envergonhe-se dando um olhar reprovante, mostre-se descontente com tais assuntos.

Opinião – as vezes a vontade de propagar nossos feitos é tão grande que deixamos nosso ego nos controlar e expomos nossas vidas a todos, contando e recontando aquilo que nós achamos ser nossos grandes feitos, mas que podem justamente não serem assim tão importantes para os outros, por outras vezes tentamos a todo momento fazer os outros rirem, as vezes as custas de nossa dignidade; devemos evitar isso a todo o custo em ambos os casos, mantermos nossas maneiras, evitando a vulgaridade por nossa parte e demonstrando nossa reprovação sempre que alguém próximo tentar fazer esse mesmo tipo de alto promoção para cima de nós. Humildade é a palavra da vez, junto da boa educação e bons modos.

N.T: tradução minha a partir do texto de Elizabeth Carter disponível em http://classics.mit.edu/Epictetus/epicench.html.
Esse é um trabalho de pratica do meu inglês e também para conhecimento maior da Obra de Epicteto.

Liturgia diária: 29ª Semana do Tempo Comum – Terça-feira – 24/10/2017

Primeira Leitura: Carta de São Paulo aos Romanos. (Rm 5,12.15b.17-19.20b-21)

Irmãos, o pecado entrou no mundo por um só homem. Através do pecado, entrou a morte. E a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram. A transgressão de um só levou a multidão humana à morte, mas foi de modo bem mais superior que a graça de Deus, ou seja, o dom gratuito concedido através de um só homem, Jesus Cristo, se derramou em abundância sobre todos.

Por um só homem, pela falta de um só homem, a morte começou a reinar. Muito mais reinarão na vida, pela mediação de um só, Jesus Cristo, os que recebem o dom gratuito e superabundante da justiça. Como a falta de um só acarretou condenação para todos os homens, assim o ato de justiça de um só trouxe, para todos os homens, a justificação que dá a vida. Com efeito, como pela desobediência de um só homem a humanidade toda foi estabelecida numa situação de pecado, assim também, pela obediência de um só, toda a humanidade passará para uma situação de justiça.

Porém, onde se multiplicou o pecado, aí superabundou a graça. Enfim, como o pecado tem reinado pela morte, que a graça reine pela justiça, para a vida eterna, por Jesus Cristo, Senhor nosso.

Opinião – nessa passagem é feito uma analogia de como o pecado tirou a nós do paraiso pela ação de Adão e Eva, mas que a morte de Cristo nos abriu novamente as portas deste paraiso, bastando para nós abrirmos nossos corações e mentes para o Conhecimento da Palavra, deixando a Luz do exemplo de Cristo nos guiar, pois assim trazemos o paraíso até nossas vidas.

Salmo Responsório (Sl 39)

— Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Sacrifício e oblação não quisestes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados, e então eu vos disse: “Eis que venho!”

Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Sobre mim está escrito no livro: “Com prazer faço a vossa vontade, guardo em meu coração vossa lei!”

Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Boas novas de vossa justiça anunciei numa grande assembleia; vós sabeis: não fechei os meus lábios!

Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Mas se alegre e em vós rejubile todo ser que vos busca, Senhor! Digam sempre: “É grande o Senhor!” Os que buscam em vós seu auxílio.

Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

Opinião – diferentes de outras épocas, Deus não pede presentes a nós, pede somente que nós deixamos nossos corações aceitarem o seu conhecimento, colocarmos a Palavra de Deus no centro de nossas vidas, vivendo de maneira plena e completa: assim nos desenvolvemos, evoluímos, e junto conosco nossas vidas e sociedade.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 12,35-38)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!

Opinião – usando da linguagem da época, onde a total devoção ao patrão era a norma da época, Jesus ensina que devemos nos entregar de corpo, mente e alma a viver da maneira que Deus nos guia, pois quando chegar nossa hora, o fato de termos vivido da maneira iluminada e correta por Ele, ira nos garantir a sua justiça. Além disso, ao vivermos de uma maneira correta, direita, seguindo o Conhecimento da Palavra do Senhor, a nossa vida já melhora, progride e passamos a viver em plenitude agora, mesmo antes de voltarmos ao paraíso junto do Pai.

O Padre Roger Araújo na homilia de hoje destaca que devemos sim estarmos preparados e atentos para as armadilhas que a vida mundana prepara para nós, deste trecho destaco: “

Precisamos estar ligados e vigilantes, precisamos, de fato, cuidar da nossa conduta, do nosso comportamento e proceder neste mundo. Não podemos andar por aí como pessoas negligentes, que não estão nem aí.

Uma coisa é ser uma pessoa tranquila, sossegada, calma e serena; outra coisa é ser uma pessoa negligente, desligada e desconectada.”

Uma boa noite a todos,

Fonte dos textos: https://liturgia.cancaonova.com/liturgia/29a-semana-tempo-comum-terca-feira/?sDia=24&sMes=10&sAno=2017